Diplomacia

Estados Unidos começaram a retirada das tropas do Afeganistão

Estados Unidos começaram a retirada das tropas do Afeganistão

As tropas norte-americanas começaram a deixar o Afeganistão, cumprindo o plano de retirada inicial de militares estabelecido no acordo assinado no final de fevereiro com os talibãs, disse esta segunda-feira uma fonte oficial dos EUA.

Centenas de soldados norte-americanos começaram a sair do Afeganistão, cumprindo a promessa eleitoral do presidente Donald Trump, em 2016, e o plano definido no acordo de paz assinado no passado dia 29 de fevereiro com os talibãs, reduzindo o contingente de cerca de 13 mil para 8.600 militares.

A retirada acontece quando no Afeganistão dois líderes rivais estão a ser empossados no cargo de Presidente, em cerimónias diferentes que decorrem naquele país, criando uma nova situação de conflito no terreno, enquanto os Estados Unidos procuram uma forma de manter o acordo de paz sem a sua presença militar, ao fim de 18 anos de conflito.

A disputa de poder entre o Presidente Ashraf Ghani, que foi declarado vencedor das eleições de setembro passado, e o seu rival Abdullah Abdullhah, que denunciou uma situação de fraude nessas eleições, ameaça tornar-se um novo foco de conflito violento no Afeganistão.

Os Estados Unidos não vincularam a retirada das forças militares à estabilidade política no Afeganistão ou a qualquer resultado específico das negociações de paz com todo os afegãos.

A retirada dos norte-americanos ficou apenas dependente do cumprimento dos compromissos por parte dos talibãs de impedirem que "qualquer grupo ou indivíduo, incluindo a Al-Qaeda, use o solo do Afeganistão para ameaçar a segurança dos Estados Unidos ou dos seus aliados".

Segundo o acordo de paz, a retirada das tropas norte-americanas deveria começar 10 dias após o acordo ser assinado, em 29 de fevereiro, e o secretário de Defesa dos EUA, Mark Esper, disse que tinha já aprovado o plano de saída dos militares, que está a ser coordenado pelos comandantes territoriais no Afeganistão.

Outras Notícias