O Jogo ao Vivo

Mundo

Estados Unidos condenam ataque "hediondo"

Estados Unidos condenam ataque "hediondo"

Os Estados Unidos condenaram "com a maior firmeza" o "hediondo" ataque suicida perpetrado este domingo, num parque da cidade paquistanesa de Lahore (leste do Paquistão), que provocou pelo menos 63 mortos, muitos deles mulheres e crianças.

"Este ato cobarde, num local que foi durante muito tempo um parque agradável e tranquilo, matou dezenas de civis inocentes e fez muitos feridos", disse, num comunicado, o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, Ned Price.

"Enviamos as nossas profundas condolências aos familiares das vítimas mortais", e "os nossos pensamentos e orações estão com os muitos feridos na explosão", acrescentou.

O porta-voz insistiu que os Estados Unidos apoiam o povo e o governo do Paquistão, "neste momento difícil", e assegurou que a administração norte-americana continuará a trabalhar com os seus parceiros, no país e em toda a região.

Juntos, frisou Ned Price, "seremos inflexíveis" nos esforços, "para erradicar o flagelo do terrorismo".

Pelo menos 63 pessoas morreram e outras 290 ficaram feridas, incluindo mulheres e crianças, no atentado suicida que atingiu o parque público de Gulshan-e-Iqbal, um parque com uma grande extensão de terreno, com uma zona de atividades para crianças, que é muito frequentado por famílias.

"Um suicida fez explodir as bombas que transportava no parque Gulshan-e-Iqbal, perto de uma zona infantil, por volta das 19:00 locais [15:00 de Lisboa]", disse um porta-voz da polícia local, Mohamed Salim, citado pela agência noticiosa espanhola EFE.

A jovem ativista paquistanesa e Nobel da Paz Malala Yousafzai também reagiu, através da rede social Twitter, afirmando estar "devastada pelo assassínio sem sentido de pessoas inocentes em Lahore".

"Condeno este ataque nos termos mais fortes. (...) O Paquistão e o mundo devem unir-se. Cada vida é preciosa e tem de ser protegida e respeitada", escreveu a ativista.

O ataque ainda não foi reivindicado.

Em meados deste mês, 15 pessoas morreram e 30 ficaram feridas num atentado bombista contra um autocarro em que viajavam funcionários do governo da cidade de Peshawar, no noroeste do Paquistão.

Segundo o exército paquistanês, os atentados talibãs têm vindo a diminuir naquele país desde o início da operação militar nas áreas tribais em 2014, que já matou cerca de 3.500 insurgentes.