O Jogo ao Vivo

Covid-19

EUA aguardam sinais de eficácia para vacinar crianças com mais de seis meses

EUA aguardam sinais de eficácia para vacinar crianças com mais de seis meses

O governo norte-americano disse hoje esperar ter em breve "um bom sinal da eficácia" da vacina covid-19 da Pfizer, para crianças entre os seis meses e os cinco anos de idade, o que permitirá a sua administração este mês.

Em conferência de imprensa, Jeff Zients, o coordenador chefe da equipa de resposta à pandemia da Casa Branca, disse que o trabalho já está em curso para que possam ser distribuídos pelo país, "dentro de cinco a 11 dias", após os reguladores darem a sua aprovação, sendo esperado em meados de fevereiro.

Os fabricantes americanos de medicamentos Pfizer e o seu parceiro BioNTech solicitaram na terça-feira a aprovação de emergência nos Estados Unidos para a sua vacina covid-19 para crianças dos seis meses aos cinco anos. Se for aprovada, será a primeira para este grupo etário.

PUB

A Food and Drug Administration (FDA) pediu uma aprovação de emergência de 15 dias para a sua vacina covid-19 para crianças dos seis meses aos cinco anos de idade e convocou para 15 de fevereiro a sua reunião do comité consultivo para rever os dados fornecidos pelas empresas farmacêuticas sobre a segurança e eficácia de duas doses de três microgramas em crianças nesta faixa etária, como parte de uma série de três doses.

"Estamos a antecipar que vamos receber um bom sinal de eficácia que permitirá o uso de vacinas em crianças menores de cinco anos", disse Anthony Fauci, o epidemiologista chefe da Casa Branca, na mesma conferência.

No entanto, Fauci salientou que este soro especialmente concebido está a ser revisto "muito cuidadosamente" pelos reguladores, pelo que é necessário esperar por uma recomendação.

De acordo com dados da Casa Branca, existem atualmente 18 milhões de crianças nos Estados Unidos nesta faixa etária que poderiam receber o soro.

Em outubro passado, a FDA licenciou a vacina destas empresas farmacêuticas para crianças dos cinco aos 11 anos de idade e, recentemente, deu luz verde a uma dose de reforço para crianças dos 15 anos de idade.

Apesar disso, os peritos manifestaram surpresa com o baixo nível de vacinação entre as crianças norte-americanas, que é apenas 30% entre as crianças dos cinco aos 11 anos.

"Sabemos que muitos pais estão ansiosos por obter proteção vacinal para os seus filhos. Sabemos que outros têm perguntas. Por isso estamos a trabalhar para garantir que todos os pais tenham acesso aos factos e informações de que necessitam para tomarem a decisão certa", disse Zients.

Os EUA são o país mais duramente atingido pela pandemia da covid-19, com mais de 75 milhões de casos e 890 mil mortes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG