Mundo

EUA anunciam retaliações à Turquia por compra de material militar à Rússia

EUA anunciam retaliações à Turquia por compra de material militar à Rússia

Os EUA anunciaram esta semana que bloquearão o envio de aviões para a força aérea turca, se o governo da Ancara insistir na compra de um sistema antimísseis à Rússia, segundo fontes do Pentágono.

Na semana em que a NATO comemora 70 anos, com uma celebração em Washington, as tensões entre dois dos membros da organização, os EUA e a Turquia, sobem de tom, com os norte-americanos a ameaçarem com retaliações se os turcos insistirem em comprar material militar à Rússia.

O porta-voz do Pentágono Mike Andrews anunciou terça-feira, em comunicado, que tinha sido suspendido o envio de uma encomenda de aviões militares F-35, como retaliação pela decisão do governo da Turquia de fazer uma encomenda do sistema de defesa antimísseis S-400 à Rússia.

Este atrito entre os EUA e a Turquia é mais um episódio no continuado conflito entre os dois países, seguindo-se à recente recusa dos Estados Unidos em aceder ao pedido turco de extradição do clérigo islamita Fethullah Gulen ou ao crescendo de divergências sobre a situação no Médio Oriente ou na Síria.

A tensão entre os dois países atinge novo pico, na semana em que o ministro dos Negócios Estrangeiros turco, Mevlut Cavusoglu, visita Washington, no âmbito das comemorações dos 70 anos da NATO, de que ambos os países são membros, que decorrem entre hoje e quinta-feira.

No final de 2018, os EUA tentaram convencer o governo turco a desistir de uma encomenda à Rússia do sistema de defesa antimísseis S-400, oferecendo-se para vender o sistema Patriot, em condições financeiramente vantajosas.

A oferta norte-americana expirava em final de março e, no final da passada semana, o governo turco confirmou que manteria a compra do sistema S-400 à Rússia, no que foi lido como mais uma provocação aos aliados da NATO.

Contudo, na mesma semana do anúncio da compra russa, o ministro turco da defesa, Hulusi Akar, anunciou que os pilotos da Força Aérea continuariam a fazer formação no Estado do Arizona com os aviões F-35, que Ancara esperava que fossem despachados para a Turquia em novembro deste ano.

Esta semana, o Pentágono confirmou que essa encomenda de aviões F-35, que custam cerca de 80 milhões de euros cada um, estava suspensa, até que a Turquia desistisse da compra do sistema russo de defesa antimísseis.

Este conflito entre os EUA e a Turquia deverá ser discutido na sessão da Primavera da NATO, que decorrerá em Bratislava, na Eslováquia, no próximo mês de maio, onde os dirigentes dos 29 países membros abordarão a questão das parcerias com países externos à organização.

Nos últimos meses, a Imprensa turca tem divulgado posições de líderes do governo e de altos oficiais das forças armadas da Turquia questionando a permanência do país na NATO, tendo em conta o crescendo de tensões com os EUA e a progressiva aproximação ao governo russo de Vladimir Putin.