"Dia histórico"

EUA assinam acordo de paz com Talibãs para tirar tropas do Afeganistão

EUA assinam acordo de paz com Talibãs para tirar tropas do Afeganistão

Os EUA assinaram este sábado um acordo de paz com os Talibãs para a retirada de todas as tropas americanas (e da NATO) do Afeganistão, após mais de 18 anos de conflito.

Segundo avança a BBC, em 14 meses, deverá estar concluída a retirada gradual das tropas no Afeganistão, período durante o qual os americanos se comprometem a não fazer uso da força.

O acordo entre as partes foi anunciado após um encontro na capital do Qatar, Doha, que o Secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, já descreveu como "histórico". "Este é um momento cheio de esperança, mas é só o princípio, há uma grande quantidade de trabalho pela frente no campo diplomático", afirmou, em Doha.

Mike Pompeo disse ainda que os EUA têm uma visão "realista" do acordo, mas que estão a "agarrar a melhor oportunidade de paz numa geração".

A União Europeia (UE) já pediu que as negociações para uma paz duradoura entre afegãos comecem "sem demora". "A UE considera a conclusão do acordo entre Afeganistão e EUA e entre os EUA e os talibãs um importante primeiro passo em direção a um processo de paz completo, com as negociações entre afegãos no centro", disse o representante da União Europeia para a política externa, Josep Borrell, numa declaração em nome dos 27 Estados-membros.

A assinatura do acordo ocorre uma semana depois de a coligação internacional liderada pelos Estados Unidos e os talibãs se comprometerem a reduzir a violência na região. Em causa está a possibilidade de negociações diretas entre os rebeldes e o Governo afegão, que o movimento insurgente tinha até agora recusado, e que deverá conduzir a um tratado permanente de paz, terminando uma guerra que remonta a 2001 e que se tornou o mais longo conflito militar em que os Estados Unidos estiveram envolvidos.

Os Estados Unidos invadiram o Afeganistão depois dos ataques de 11 de setembro, em 2001, para derrotar os talibãs, que abrigaram Osama Bin Laden.

Mais de 2.400 soldados dos EUA foram mortos durante o conflito e cerca de 12 mil ainda estão no Afeganistão.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG