Iraque

EUA bombardeiam posições do Estado Islâmico no Iraque

EUA bombardeiam posições do Estado Islâmico no Iraque

Os Estados Unidos bombardearam posições de artilharia do Estado Islâmico no Iraque que ameaçavam o pessoal norte-americano estacionado na base de Erbil, no Curdistão iraquiano, anunciou, esta sexta-feira, o Pentágono.

"Aviões militares americanos lançaram ataques contra a artilharia do Estado islâmico. A artilharia foi utilizada contra as forças curdas que defendem Erbil", declarou no Twitter o porta-voz do Pentágono, almirante John Kirrby.

O almirante Kirby precisou que cerca das 10.45 TMG (11.45 horas em Portugal continental), dois caças-bombardeiros F/A 18 lançaram bombas de 250 quilos guiadas por laser sobre uma peça de artilharia móvel perto de Erbil.

Segundo o responsável do Pentágono, esta peça de artilharia destinava-se a bombardear as forças curdas em Erbil, no Curdistão iraquiano, e ameaçava o pessoal militar e civil norte-americano na cidade.

"A decisão de atacar foi tomada no centro de comando americano com a autorização do comandante em chefe", Barack Obama, acrescentou.

Na quinta-feira os combatentes do Estado Islâmico (EI) apoderaram-se de Qaraqosh, a maior cidade cristã do Iraque, e ainda da maior barragem do país, em Mossul, cidade que controlam desde 10 de junho.

Desde domingo que o seu avanço no norte do país originou a fuga de dezenas de milhares de pessoas, com o Presidente dos EUA a autorizar na quinta-feira ataques aéreos selecionados para "evitar um genocídio" e travar o avanço dos combatentes islamitas.

PUB

Obama acusou o EI de pretender "a destruição sistemática da totalidade (...) do povo [yazidi], o que constituíra um genocídio".

Também avisou os 'jihadistas' que seriam alvo de eventuais ataques aéreos caso tentassem marchar sobre Erbil.

"Vamos permanecer vigilantes e tomar medidas se [os 'jihadistas'] ameaçarem as nossas instalações em qualquer zona do Iraque, em particular o consulado [norte-americano] em Erbil e a embaixada em Bagdad", declarou Obama.

Dois anos e meio após a partida do último soldado norte-americano do Iraque, a aviação dos EUA tem lançado nos últimos dias por paraquedas alimentos e água em direção aos civis que se refugiaram nas montanhas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG