Defesa

EUA desejam relação previsível e estável com Rússia

EUA desejam relação previsível e estável com Rússia

O secretário da Defesa norte-americano, Lloyd Austin, afirmou esta sexta-feira, na sequência da decisão de Moscovo de encerrar a representação diplomática na NATO, que os Estados Unidos desejam ter uma relação "marcada pela previsibilidade e estabilidade" com a Rússia.

"O Presidente [dos Estados Unidos, Joe] Biden quer previsibilidade e estabilidade em qualquer relacionamento com a Rússia", sublinhou Austin numa conferência de imprensa no final dos dois dias de reunião dos ministros da Defesa dos Estados-membros da NATO, em Bruxelas.

Austin acrescentou que Washington pretende assegurar a continuação do apoio aos aliados e parceiros norte-americanos "no desejo de proteger os territórios soberanos e de aumentar a resiliência".

Na quinta-feira, os ministros da Defesa da Aliança Atlântica analisaram o progresso da resposta da NATO à crescente ameaça dos sistemas de mísseis da Rússia, na sequência de mais um momento de tensão com Moscovo.

O Kremlin decidiu encerrar a missão diplomática na NATO após a expulsão de vários dos seus diplomatas acusados de espionagem.

"Não vamos refletir sobre o comportamento desestabilizador da Rússia. E não temos a intenção de lançar novos mísseis nucleares terrestres na Europa", disse quinta-feira o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, que assegurou que a Aliança optou por "um pacote equilibrado de medidas políticas e militares para responder a esta ameaça".

Isso inclui a atualização das defesas aéreas e de mísseis, o fortalecimento das capacidades convencionais com aeronaves de quinta geração, a adaptação de exercícios e inteligência e o aprimoramento da prontidão e eficácia da dissuasão nuclear dos aliados, que deram quinta-feira "luz verde" a um novo plano geral para defender a Aliança em situações de crises e de conflitos.

PUB

"[O plano é] para garantir que continuamos a ter as forças certas no lugar certo, na hora certa. Para proteger os nossos mil milhões de cidadãos contra qualquer ameaça", afirmou então Stoltenberg, destacando que os Estados membros também concordaram com os novos objetivos da sua capacidade como parte do processo de planeamento de defesa da NATO.

Segundo o secretário-geral da NATO, "todo o espetro de capacidades e sistemas de defesa" é analisado e são decididos os objetivos de capacidade que contribuem para a defesa mútua entre os aliados, "a pedra angular da organização".

"Concordamos em disponibilizar mais forças com maior disponibilidade", afirmou, bem como explorar formas de a organização de manter "atualizada a nível tecnológico", para o que os aliados pretendem assinar, sexta-feira, a criação de um fundo específico que permita que invistam até 1.000 milhões de euros em projetos inovadores.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG