Mundo

EUA dizem-se dispostos a ajudar Chen Guangcheng a deixar a China

EUA dizem-se dispostos a ajudar Chen Guangcheng a deixar a China

Os Estados Unidos estão dispostos a ajudar o dissidente chinês cego Chen Guangcheng a deixar a China se assim pretender, afirmou, esta quinta-feira, um responsável norte-americano citado pela agência noticiosa AFP.

Já o embaixador dos EUA em Pequim, Gary Locke, garantiu que o dissidente "nunca foi forçado" a deixar a embaixada norte-americana em Pequim, onde esteve nos últimos seis dias, tendo decidido, na quarta-feira, deslocar-se ao hospital, onde se reuniu com a família.

O responsável norte-americano citado, sob anonimato, pela AFP, não quis adiantar se o Governo de Washington estaria disposto a conceder asilo político ao dissidente chinês, salientando que a posição de Chen Guangcheng não é clara.

"Não temos ainda todos os elementos, vamoss procurar saber o que ele pretende e depois faremos tudo o que for possível para o ajudar a alcançar os seus fins", explicou.

Antes de deixar a embaixada norte-americana, o dissidente declarou pretender deixar a China, onde alega não se sentir em segurança, apesar da intervenção dos EUA junto das autoridades chinesas para que a sua segurança seja garantida no seu país.

Depois da sua fuga, a 22 de abril, da prisão domiciliária, Chen divulgou um vídeo na Internet dirigido ao primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, em que denunciou as agressões físicas levadas a cabo por autoridades locais contra ele e pessoas que lhe são próximas durante os 19 meses em esteve retido em casa, na província de Shandong.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG