Papa Francisco

EUA espiaram conversas no Vaticano antes da eleição do Papa Francisco

EUA espiaram conversas no Vaticano antes da eleição do Papa Francisco

A Agência Nacional de Segurança norte-americana espiou as comunicações telefónicas do Vaticano e também as que ocorreram na residência onde o cardeal argentino Jorge Bergoglio ficou alojado antes do conclave que o elegeu sucessor de Bento XVI.

A revelação consta da próxima edição do semanário italiano "Panorama", que cita documentos do ex-consultor da Agência Nacional de Segurança (NSA) Edward Snowden, entre as 46 milhões de conversações telefónicas que terão sido intercetadas em Itália.

O semanário italiano, que adiantou alguns dados do trabalho que irá publicar na próxima sexta-feira, refere o período entre 10 de dezembro de 2012 a 8 de janeiro de 213, pelo que "se suspeita" que a espionagem continuou depois de ter sido anunciada a renúncia de Bento XVI, que teve efeito a 28 de fevereiro.

O "Panorama" escreve mesmo que a espionagem durou durante todo o conclave para eleger o novo Papa.

As conversas escutadas abrangem a residência onde o então bispo de Buenos Aires, Jorge Bergoglio, estava alojado, antes do início do conclave que o elegeu Papa, em 13 de março.

Outro alvo da espionagem da NSA foi o presidente do Banco da Vaticano, o alemão Ernst von Freyberg, que foi nomeado por Bento XVI em fevereiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG