Inédito

EUA abrem porta ao diálogo com a Coreia do Norte

EUA abrem porta ao diálogo com a Coreia do Norte

O secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, pediu a Pyongyang que suspenda os ensaios de mísseis como primeiro passo para regressar à mesa das negociações.

"O melhor sinal que a Coreia do Norte poderá enviar para mostrar que está disponível para dialogar é parar com os disparos de mísseis", afirmou Rex Tillerson, aos jornalistas, à margem de um fórum da Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN), na capital das Filipinas.

Esta é a primeira vez que o chefe da diplomacia norte-americana refere um passo concreto a seguir por Pyongyang com vista ao reinício das negociações sobre o cada vez mais avançado programa de armas nucleares e de mísseis da Coreia do Norte.

As negociações a seis, entre China, Estados Unidos, Coreia do Norte, Rússia, Coreia do Sul e Japão sobre o programa de armas nucleares, norte-coreano foram suspensas unilateralmente por Pyongyang em abril de 2009.

O secretário de Estado norte-americano não adiantou quando é que tal diálogo pode ter lugar, nem por quanto tempo a Coreia do Norte teria de suspender os ensaios.

"Saberemos quando chegar a hora", respondeu. "Não vou dar qualquer número específico de dias ou semanas. É acima de tudo uma questão de estado de espírito".

No fim de semana, o Conselho de Segurança da ONU aprovou mais novas sanções contra a Coreia do Norte, que visam privar Pyongyang de receitas anuais de mil milhões de dólares (cerca de 850 milhões de euros) procedentes das suas exportações.