Pandemia

Europa prepara-se para um Natal contido

Europa prepara-se para um Natal contido

Com as festas natalícias à porta, e com a pandemia a contrariar a expectativa de melhora, vários países europeus começaram a preparar novas restrições para combater o número de infeções por covid-19.

A Europa já registou mais de 19 milhões de infetados pelo novo coronavírus, 459 mil mortos e cerca de 9,3 milhões de recuperados.

Encontros de cinco pessoas

A Alemanha é o país que, para já, tem o conjunto de medidas "mais duro". A partir desta quarta-feira, e até 10 de janeiro, creches, escolas e lojas estarão encerradas, juntando-se às instalações de lazer, cultura e gastronomia, que fecharam atividade em novembro.

Apesar de aligeirar as medidas entre 24 e 26 de dezembro, para permitir reuniões familiares nos dias de Natal, os encontros continuam limitados a cinco pessoas de duas casas, sem contar os menores de 14 anos. Para o Ano Novo, será decretada a "proibição de reuniões" em espaços públicos e será proibida a venda e o uso de produtos pirotécnicos.

Perante a decisão firme, que poderá afetar profundamente a economia do país, o presidente alemão, Frank-Walter Steinmeier, pediu à população colaboração, lembrando que, até agora, os "esforços não foram suficientes".

PUB

Confinamento substituído por recolher obrigatório

Quem achou que no fim do confinamento iria poder regressar com liberdade às ruas francesas, enganou-se. A França substituiu o confinamento, imposto no dia 30 de outubro, pelo recolher obrigatório entre as 20 horas e as 6 horas locais depois de o governo reconhecer que o país não irá atingir a meta de redução de infeções para cinco mil por dia.

Além das restrições de circulação, as salas de espetáculos e museus deverão continuar encerradas. A França registou este sábado 150 mortes devido à covid-19 e 11 533 novos casos.

Confinamento de um mês

Nos Países Baixos, o primeiro-ministro Mark Rutte, deverá anunciar a imposição de um confinamento que durará, pelo menos, um mês. Além disso, o governo deverá ordenar o encerramento das escolas, bem como o de lojas de bens não essenciais, cabeleireiros, museus e teatros. As medidas deverão vigorar até 19 de janeiro.

Os bares e os restaurantes estão encerrados desde meados de outubro e o país está há dois meses num confinamento parcial.

Fechados depois do Ano Novo

Na Turquia, festejar-se-á primeiro o Ano Novo e depois o confinamento. O anúncio foi feito pelo presidente Tayyip Erdogan que indicou que a partir de 31 de dezembro será imposto um confinamento de cinco dias.

O recolher obrigatório irá começar às 21 horas da véspera de Ano Novo e vigorará até ao dia 4 de janeiro.

Itália

O número de mortos por covid-19 em Itália já ultrapassou os 65 mil desde o início da pandemia, depois de esta segunda-feira o país ter registado mais 491 óbitos. Por isso mesmo, o país, com os piores números da Europa, está a considerar a imposição de mais restrições para o Natal e para o Ano Novo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG