Multa

Ex-ministro francês Claude Guéant detido por incumprimento de pagamentos

Ex-ministro francês Claude Guéant detido por incumprimento de pagamentos

O antigo ministro do Interior francês Claude Guéant foi detido, esta segunda-feira, em Paris por incumprimento de pagamentos de uma multa, relativa a uma condenação de 2017, tendo sido encaminhado para o estabelecimento prisional Paris-La-Santé, localizado na capital francesa.

"O envolvido apresentou-se hoje no serviço de execução de sentenças do Ministério Público de Paris e foi preso no centro penitenciário de Paris-La-Santé", adiantou o Ministério Público de Paris, em comunicado.

O ex-chefe de gabinete de Nicolas Sarkozy foi condenado em janeiro de 2017 a dois de prisão, um dos quais foi suspenso em liberdade condicional, e a apagar uma multa de 75 mil euros, num caso de recompensas em dinheiro do Ministério do Interior.

Claude Guéant estava a cumprir pena em liberdade condicional.

No início de novembro, no entanto, o Tribunal de Recurso de Paris revogou parte da sua suspensão (três meses) e da sua liberdade condicional (seis meses), considerando que o antigo governante não estava a fazer os pagamentos necessários para pagar a multa e os danos que havia infligido.

O procurador financeiro alegou que "apenas 36%" da sua dívida de cerca de 190 mil euros ao erário público tinha sido liquidada e isto, "em grande parte, de forma forçada através de execuções hipotecárias".

É em execução dessas decisões que Claude Guéant foi encaminhado para Paris-La-Santé, por nove meses, disse à agência de notícias AFP o seu Me Philippe Bouchez El-Ghozi, que anunciou a sua intenção de apreender o juiz a fim de obter uma acomodação, destacando o estado de saúde "preocupante" do seu cliente.

PUB

"Ele paga o que pode pagar, ou seja, 3.000 euros por mês. Não tem dinheiro escondido, por isso não pode pagar mais e, apesar disso, decidiram 'mandá-lo para a prisão", lamentou.

Braço direito da campanha de Nicolas Sarkozy, Claude Guéant obteve a chefia de gabinete do Palácio do Eliseu após a vitória 2007, onde se tornou influente no governo do antigo Presidente francês.

Claude Guéant já havia comparecido em tribunal, em outubro e em novembro, ao lado de quatro ex-assessores de Nicolas Sarkozy, por suspeita de favoritismo ou desvio de fundos públicos sobre milhões de euros gastos em consultoria política e em campanhas para a presidência 2007/2012. A sentença está agendada para 21 de janeiro.

O antigo ministro também está implicado no caso do suposto financiamento líbio da campanha de Nicolas Sarkozy e deve ser julgado em fevereiro por "financiamento ilícito" da sua campanha eleitoral de 2012.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG