Corrupção

Ex-primeira dama das Honduras condenada por desviar verbas

Ex-primeira dama das Honduras condenada por desviar verbas

Um tribunal hondurenho condenou a ex-primeira dama Rosa Elena Bonilla por desviar cerca de 600 mil dólares (540 mil euros) em dinheiro do Governo (2010-2014), quando o marido, Porfirio Lobo, era presidente.

A sentença de Bonilla será anunciada em 28 de agosto, enfrentando uma pena entre 58 e 87 anos de prisão. O cunhado de Bonilla, Mauricio Mora, foi absolvido.

O caso foi originalmente apresentado pela missão de combate à corrupção da Organização dos Estados Americanos, que iniciou seu mandato no país em 2016, após grandes protestos de rua relacionados com escândalos ligados ao crime de suborno.

Investigadores da organização não-governamental Conselho Nacional Anticorrupção disseram aos procuradores que Bonilla depositou 600 mil dólares de fundos governamentais na sua conta bancária pessoal cinco dias antes de terminar o mandato presidencial de Porfirio Lobo, em janeiro de 2014.

Os procuradores acusaram Bonilla de usar o dinheiro para comprar joias e pagar cartões de crédito.

Lobo, que também está sob uma investigação pelo crime de corrupção, disse: "Nós não concordamos com o veredito e vamos recorrer". O ex-presidente prometeu levar o caso ao Tribunal Interamericano de Direitos Humanos, se necessário.

No início deste mês, procuradores federais dos EUA acusaram Lobo e o seu sucessor, o atual presidente, Juan Orlando Hernandez, de receberem contribuições para as campanhas de traficantes de cocaína, em troca de proteção. Porfirio Lobo negou a acusação.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG