Conflito

Exclusão da Rússia do Conselho de Direitos Humanos da ONU "enfraquecerá a sua eficácia"

Exclusão da Rússia do Conselho de Direitos Humanos da ONU "enfraquecerá a sua eficácia"

A Rússia alertou, esta quarta-feira, que a sua possível suspensão do Conselho de Direitos Humanos da ONU enfraquecerá o caráter universal daquele órgão e deixará nas mãos do Ocidente o controlo total em matéria de direitos humanos.

"A exclusão da Rússia do Conselho enfraquecerá, sem dúvida, a sua universalidade, eficácia e, na prática, deixará as mãos livres aos países do Ocidente para exercerem um controlo total sobre a esfera dos direitos humanos", declarou a porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, Maria Zakharova, numa conferência de imprensa.

A Assembleia-Geral da ONU, composta pelos 193 Estados-membros da organização, reúne-se na quinta-feira em Nova Iorque para votar o pedido de suspensão da Rússia do Conselho de Direitos Humanos.

A iniciativa do pedido coube à Ucrânia, aos Estados Unidos e ao Reino Unido, após as graves acusações feitas às tropas russas na Ucrânia, em especial o massacre de centenas de civis na cidade de Bucha e noutras localidades.

Vários outros países, entre os quais o Canadá, Colômbia, República Checa, Estónia, França, Alemanha, Itália e Japão, apoiam o pedido.

Para tal, os promotores da iniciativa fizeram circular um projeto de resolução que propõe a suspensão dos direitos de participação da Rússia no Conselho de Direitos Humanos e que poderá ser aprovado com dois terços dos votos dos Estados-membros da ONU.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG