Homem de Ferro

Exército dos EUA "copia" armadura de "Homem de Ferro"

Exército dos EUA "copia" armadura de "Homem de Ferro"

O exército dos EUA está a desenvolver uma armadura inteligente capaz de atribuir "força sobre-humana" a quem a usar.

No filme "Homem de Ferro", inspirado na personagem de banda desenhada da Marvel, Robert Downey Jr. dá vida a Tony Stark, um engenheiro multimilionário que decidiu usar parte da fortuna na construção de uma armadura que veste para combater o mal.

A ficção está, agora, mais perto da realidade com o anúncio de que o exército norte-americano reuniu uma equipa composta por industriais da tecnologia, cientistas de laboratórios governamentais e académicos para concretizar o projeto de criar uma armadura similar.

De cordo com a BBC, o fato vai chamar-se "Talos", abreviatura de "Tactical Assault Light Operator Suit", que se pode traduzir como fato ligeiro de operações táticas. Composto por várias camadas de materiais inteligentes, deverá ser equipado com sensores que monitorizam a temperatura, a hidratação e o batimento cardíaco.

Segundo o exército norte-americano, a armadura precisará também de uma ligação à Internet e de uma interface semelhante à do sistema "Google Glass", os óculos inteligentes da Google, que permitem filmar ou ver informações em tempo real.

A cadeia de televisão britânica, avança, ainda, que outros exosqueletos que permitam aos soldados transportar cargas pesadas a longas distâncias já foram testados. No caso, a armadura deverá ser equipada com um sistema hidráulico capaz de aumentar a força do utilizador.

Karl Borjes, conselheiro científico do exército, afirma que o objetivo é criar um exosqueleto completo e que integre várias funcionalidades, desde "armas" a sistemas de "comunicação" e de "monitorização de saúde".

PUB

Em entrevista, Gareth McKinley, do "Massachussets Institute of Technology" (MIT), também envolvido na produção do projeto, comparou a armadura à presente nos filmes de Hollywood. "Parece mesmo o Homem de Ferro", constata.

Segundo a BBC, estima-se que o projeto esteja concluído dentro de três anos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG