Balanço

Explosão na Alemanha fez dois mortos e 31 feridos. Há cinco desaparecidos

Explosão na Alemanha fez dois mortos e 31 feridos. Há cinco desaparecidos

Dois mortos, cinco desaparecidos e 31 feridos, três dos quais graves, são o mais recente balanço de uma explosão ocorrida esta terça-feira em Leverkusen, no oeste da Alemanha, numa unidade de tratamento de resíduos químicos.

A explosão levou a população a isolar-se em casa com medo de vapores nocivos, erguendo-se ao longo de todo o dia uma enorme coluna de fumo negro, visível ao longe, do local do acidente, um centro de armazenagem de resíduos e uma incineradora próximos de um parque industrial especializado em químicos.

"Os meus pensamentos vão para os feridos e suas famílias. A busca das pessoas desaparecidas prossegue a toda a velocidade. Infelizmente, a esperança de as encontrar vivas está a diminuir visivelmente", declarou Lars Friedrich, diretor do complexo Chempark, onde se situa a unidade industrial Currenta, onde se deu o incidente pelas 9.40 horas locais (8.40 horas de Lisboa).

As operações de socorro prosseguem para tentar encontrar os cinco desaparecidos. Os 31 feridos, três dos quais com gravidade, são trabalhadores da unidade industrial.

O incêndio que se seguiu à explosão e que alastrou aos tanques de solventes foi extinto ao fim de várias horas de intervenção dos bombeiros.

Três dos reservatórios "ficaram completa ou parcialmente destruídos", disse Friedrich, o que torna, por enquanto, impossível dizer exatamente onde se deu a explosão e o que a terá causado.

O ruído da explosão foi ouvido a 40 quilómetros de distância, segundo a imprensa.

PUB

A libertação de fumo motivou um apelo das autoridades à população para "ir para divisões fechadas, desligar o ar condicionado e, por precaução, manter as janelas e as portas fechadas".

O aviso já não estava disponível ao fim da tarde, indicou mais tarde a autarquia.

E os danos poderiam ter sido mais graves: o risco de explosão de um segundo reservatório que continha 100 mil litros de resíduos tóxicos altamente inflamáveis mantinha-se após o incêndio, segundo o ministro do Interior regional da Renânia-do-Norte-Vestefália, Herbert Reul.

O perigo foi afastado graças à intervenção numerosa - mais de 300 efetivos - dos bombeiros, acrescentou.

O complexo de armazenagem e a unidade de incineração situam-se no limite do parque industrial Chempark, que reúne empresas do sector químico, um dos maiores do género na Europa, na periferia de Leverkusen.

Sede da gigante farmacêutica Bayer, Leverkusen tem pouco mais de 160 mil habitantes e situa-se a cerca de 20 quilómetros da cidade de Colónia. Os grupos Evonik e Lanxess também ali têm unidades fabris.

A eventual poluição libertada é minuciosamente analisada pela cidade de Leverkusen, que não tinha detetado, até ao fim da tarde de hoje, "qualquer aumento das cargas poluentes".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG