Rússia

Extravagante mercearia da era dos Czares fechou este domingo no coração de Moscovo

Extravagante mercearia da era dos Czares fechou este domingo no coração de Moscovo

Abriu em 1901 e não tardou a conquistar clientes, com os seus vinhos, queijos europeus e frutas exóticas. Na era soviética, caracterizada pela escassez de alimentos, brindou o público com prateleiras cheias. Hoje, os lustres brilhantes da Eliseevsky apagaram-se de vez, no centro da capital russa.

Uma mercearia histórica situada no centro de Moscovo, em funcionamento há 120 anos, fechou portas este domingo, na sequência de questões legais e da queda na procura gerada pela pandemia de covid-19.

Fundada em 1901, a Eliseevsky dá nas vistas pelo seu interior dourado (a fazer lembrar um palácio neobarroco) e pela ampla seleção de petiscos gourmet.

Desde o anúncio do encerramento, no final do mês de março, as prateleiras vazias e os corredores desertos sob os lustres brilhantes das lojas chocaram os cidadãos, cujos desabafos encheram as redes sociais.

"Prateleiras vazias no Eliseevsky: nunca vimos isto, nem mesmo durante a guerra", confessaram ao canal estatal Rossiya 1, na semana passada.

PUB

Em declarações à Reuters, Yelena Bakhtina explicou que a mercearia "não era apenas um lugar para comprar comida", mas sim "um símbolo da cidade". "Costumava ir lá só admirar o interior", reconheceu.

A loja está situada num prédio do século XVIII, na prestigiada rua Tverskaya, a apenas centenas de metros do Kremlin. Durante a era soviética, era conhecida como "Gastronom Nº 1" e vendia diversos produtos, apesar da escassez geral de alimentos na época.

No início da década de 1980, o diretor do espaço comercial foi preso, condenado à morte e executado, na sequência de uma investigação por corrupção.

Fiel ao passado histórico, os clientes foram servidos, até este domingo, no extravagante salão por funcionários vestidos com uniformes vintage.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG