Espanha

Extrema-direita tem a chave para o PP governar em Castela Leão

Extrema-direita tem a chave para o PP governar em Castela Leão

O Partido Popular (PP) não conseguiu uma vitória suficiente para governar sozinho e vai precisar de um acordo com a extrema-direita (Vox) se quiser manter a sua hegemonia em Castela Leão.

Apesar de não ter alcançado a maioria absoluta (41) que procurava quando convocou de forma antecipada a ida às urnas, a candidatura de Afonso Fernández Mañueco (PP) melhorou os resultados de 2019 com mais dois assentos (31).

Porém, a estratégia fracassada dos populares serviu para fortalecer ainda mais a Vox que passou de ter um único representante na Câmara para ter 13. Agora, a responsabilidade de formar uma nova coligação recai no partido liderado por Santiago Abascal, que vai exigir a vice-presidência para o seu candidato Juan García-Gallardo.

PUB

Os populares devem ponderar se apostam no executivo à direita com Vox ou se devem procurar novas alianças entre os partidos regionalistas -Soria Ya! (3), União do Povo Leonês (3) e Por Avila (1) - precisando neste caso da abstenção da extrema-direita para governar. O auge destas forças políticas debilitou o Partido Socialista (PSOE) que perdeu até sete representantes em relação a 2019 (28). O secretário-geral socialista, Luís Tudanca, já abordou a possibilidade de deixar a liderança do partido nas próximas horas.

Quem não conseguiu travar novamente uma grande queda são os dois partidos que acabaram na década passada com o bipartidismo a nível nacional. Cidadãos, antigo parceiro de coligação do PP, ficou com um único representante, tal como, Unidas Podemos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG