cancro

Faltou às aulas para tratar cancro e foi expulsa da escola

Faltou às aulas para tratar cancro e foi expulsa da escola

Uma menina de 12 anos passou mais de dois anos a lutar contra o cancro, tendo por isso faltado às aulas. A escola considerou que esteve demasiado ausente e expulsou-a. Veja o vídeo.

Rose McGrath frequentou a escola católica de St. Joseph, em Battle Creek, no Estado norte-americano do Michigan, desde sempre. Tem 12 anos. Venceu uma dura batalha contra uma leucemia linfoblástica. Ao fim de mais de dois anos de tratamentos agressivos, o cancro entrou em remissão. Agora, Rose não entende o que aconteceu.

"Não fiz nada errado, mas mesmo assim mandaram-me embora", disse ao canal televisivo WWMT.

Segundo a escola, durante um ano letivo, Rose assistiu a apenas 32 aulas. Numa carta enviada aos pais, a direção explica: "Embora tenhamos feito ajustamentos significativos aos nossos padrões para ajudar a Rose na sua contínua incapacidade para cumprir os nossos requisitos, ficou claro que tais ajustamentos não são suficientes para que tenha a qualificação necessária para continuar na nossa escola".

E comunica a decisão: "Estamos a dispensar a Rose da escola de St. Joseph devido à sua incapacidade de corresponder aos nossos padrões académicos e de assiduidade".

A direção do estabelecimento de ensino católico sugere ainda que talvez Rose beneficie mais de um sistema de aulas em casa.

Os pais argumentam que filha "não faltou às aulas para ir ao centro comercial". Faltou porque "esteve na cama com náuseas, vómitos e dores".

Para Rose, a escola funcionava como uma escape da sua dura realidade. Ir às aulas era sinal de que estava melhor e podia ter uma rotina como a das outras crianças.