Covid-19

Famílias de vítimas apresentam queixa de 100 milhões contra Estado italiano

Famílias de vítimas apresentam queixa de 100 milhões contra Estado italiano

Cerca de 500 famílias de pessoas que morreram devido à covid-19 vão apresentar uma queixa civil e pedir 100 milhões de euros do Estado italiano, suspeito de graves omissões na gestão da crise da pandemia, informaram os media locais.

A denúncia tem como alvo o chefe de Governo italiano, Giuseppe Conte, o ministro da Saúde, Roberto Speranza, e Attilio Fontana, presidente da região da Lombardia, a área mais afetada pela pandemia, com cerca de 25 mil das 70 mil mortes registadas em Itália desde fevereiro.

Esta ação cível segue-se a cerca de 300 denúncias criminais, de acordo com uma associação de familiares dos mortos que está na origem deste processo, a Comissão "Noi denunceremo" (Nós denunciaremos), movida nos últimos meses, principalmente junto do Ministério Público de Bergamo, norte do país.

A procuradoria está a conduzir várias investigações separadas relacionadas com a pandemia.

Os advogados da "Noi denunceremo" imputam "graves omissões às autoridades públicas regionais da Lombardia e ao Governo central" na organização da resposta à pandemia, segundo uma notícia do diário local Bergamonews, publicada hoje no seu portal.

Criticam, entre outras coisas, a ausência de um plano nacional contra a pandemia atualizado e os atrasos na criação de uma "zona vermelha" em fevereiro, abrangendo dois municípios do departamento de Bérgamo, Nembro e Alzano Lombardo, em particular mais afetados pelo novo coronavírus.

As primeiras "zonas vermelhas" foram estabelecidas no final de fevereiro por decisão do Governo italiano e afetaram cerca de dez municípios da Lombardia, em particular Codogno, a cidade do "paciente número um".

PUB

No início de março, a epidemia continuou a alastrar, com dois surtos maiores, nos municípios de Nembro e Alzano, mas a zona vermelha só foi aí estabelecida a 9 de março. As autoridades regionais e o Governo central rejeitam a responsabilidade por este atraso.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.718.209 mortos resultantes de mais de 77,9 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG