Mundo

Filhos de Berlusconi revoltados com expulsão do pai do senado italiano

Filhos de Berlusconi revoltados com expulsão do pai do senado italiano

Os filhos de Silvio Berlusconi uniram-se hoje ao pai depois de ele ter sido expulso do Senado italiano, ao fim de 20 anos de carreira parlamentar, e lançaram afirmações de revolta e condenação.

Tanto a filha mais velha, Marina, que lidera a Fininvest, uma das empresas da família, como Pier Silvio, diretor da Mediaset, o império de Media de Berlusconi, publicaram comunicados de revolta.

"Este país e a sua democracia deviam ter vergonha daquilo que o meu pai está a sofrer", afirmou Marina, de 47 anos, que negou os rumores de que possa vir a suceder a Berlusconi.

"O meu pai já não é senador, mas o voto de hoje não vai certamente afetar a sua liderança", disse, acrescentando que a expulsão foi "uma mancha que vai pesar na história" de Itália.

Já Pier Silvio, com 44 anos, disse que estar "profundamente magoado" com a decisão: "Eu sei quem o meu pai é verdadeiramente e, acima de tudo, o que fez pelos empresários italianos e pelo nosso país".

Marina e Pier Silvio, que raramente falam publicamente sobre o pai, são ambos filhos do primeiro casamento de Berlusconi, com Carla Dall'Oglio.

Também Barbara Berlusconi, que tem 29 anos e é a filha mais velha do segundo matrimónio, com Veronica Lario, se manifestou indignada com a decisão.

"Com a expulsão violenta do meu pai, os seus rivais políticos pensam que têm o caminho livre para o poder. Isto foi uma operação política que vai perseguir aqueles que a produziram", declarou.

O Senado italiano decidiu hoje retirar o lugar de senador ao ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi depois de ter sido condenado a quatro anos de prisão por fraude fiscal.

O Senado, a câmara alta do Parlamento italiano, rejeitou nove propostas apresentadas por vários senadores para que não fosse aplicada a Berlusconi a chamada "lei Severino" aprovada pelo anterior Governo liderado por Mario Monti, que estabelece a expulsão do Parlamento dos condenados a penas superiores a dois anos de prisão.