Transportes

Franceses querem unir o Porto à Europa num "hotel sobre carris"

Franceses querem unir o Porto à Europa num "hotel sobre carris"

A start-up francesa Midnight Trains quer criar "hotéis sobre carris", um serviço de transporte noturno de Paris para várias cidades europeias, entre as quais o Porto, a partir de 2024. O serviço, que ainda está longe de ser uma realidade, deverá incluir quartos "estilo hotel", que oferecem privacidade e segurança, e um restaurante e bar a bordo.

O objetivo da empresa é criar uma rede com mais de dez destinos com distâncias de 800 a 1500 quilómetros. A Midnight Trains planeia servir pelo menos uma dúzia de destinos europeus, como Madrid, Lisboa, Porto, Milão, Veneza, Florença, Roma, Viena, Praga, Budapeste, Berlim, Hamburgo, Copenhaga e Edimburgo.

Romain Payet, co-fundador da empresa, explicou ao JN que, apesar de o Porto não ser o maior mercado parisiense em termos de passageiros, a Midnight Trains acredita que a cidade "tem um elevado potencial para viajantes de lazer pela sua atratividade cultural e o seu centro histórico inscrito como património da UNESCO, viajantes em negócios (novo polo europeu startups de tecnologia) e famílias binacionais que regressam a Portugal todos os anos".

Por outro lado, tanto as rotas para o Porto como para Lisboa são "desafiadoras", especialmente no que diz respeito ao material circulante e à tecnologia de bitola variável necessária na fronteira com Espanha, explicou Payet. "A rota do Porto vai depender muito do material circulante que iremos adquirir e das obras de infraestruturas planeadas entre Bordéus e a fronteira com o País Basco francês", afirmou o responsável.

Por causa desta condicionante, a empresa ainda não contactou as autoridades portuguesas e não o pretende fazer "até encontrar soluções" para os desafios em causa. Até 2024, ano em que planeia lançar a primeira rota, a empresa vai dedicar-se ao recrutamento da equipa e na criação do plano operacional para o lançamento, em particular a aquisição de material, acesso a infraestruturas e parcerias com empresas ferroviárias.

Segundo a empresa, esta vai ser uma alternativa mais amiga do ambiente. Por exemplo, uma viagem entre Paris e Roma a bordo dos "comboios da meia-noite" vai gerar 23 vezes menos emissões de dióxido de carbono (CO2) do que a bordo de um avião comercial na mesma rota.

PUB

A Midnight Trains prevê estar totalmente operacional até 2030.

Há três anos, os comboios noturnos da Europa estavam a ser expulsos do mercado por voos de baixo custo e autocarros de longa distância. Porém, as preocupações do público com a emergência climática levaram a um aumento do interesse em "ressuscitar" as rotas noturnas em todo o continente. Segundo os fundadores, o objetivo não é ser caro e luxuoso, mas sim uma alternativa limpa.

"Estamos convencidos de que o século XXI deve criar uma nova mitologia dos comboios noturnos. Num momento em que cada vez mais viajantes procuram uma alternativa duradoura e de alta qualidade no avião, a renovação do comboio noturno é uma resposta concreta e pragmática. Para isso, redesenhamos a experiência do viajante deste modo de transporte", lê-se num comunicado enviado ao JN.

"Midnight Trains estará na vanguarda ao reinventar este produto antigo de mais de um século", rematou o co-fundador Adrien Aumont.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG