Síria

Freira portuguesa alerta para condições dramáticas perto da fronteira com o Líbano

Freira portuguesa alerta para condições dramáticas perto da fronteira com o Líbano

Uma freira portuguesa que vive no Mosteiro de São Tiago Mutilado, em Qara, Síria, alertou esta sexta-feira para as "condições dramáticas" em que estão as populações na zona montanhosa do Qalamoun, região tradicionalmente cristã perto da fronteira com o Líbano.

Segundo uma mensagem da religiosa Maria Lúcia Ferreira, divulgada pela Fundação AIS (Ajuda à Igreja que Sofre), "depois da crise no Líbano e de novas sanções que foram impostas ao país, (...) a situação económica está terrível. As pessoas queixam-se de quase não conseguirem comprar [algo] para comer".

Esta freira, que pertence à Congregação das Monjas de Unidade de Antioquia, aponta que na região se regista frequentemente falta de eletricidade, o que, a par da crise económica e do agravamento das condições climatéricas, está a afetar as famílias mais pobres, que "estão a atravessar dias muito difíceis".

Têm sido frequentes os alertas desta religiosa portuguesa para a situação vivida na zona da fronteira entre a Síria e o Líbano, afetando comunidades dos dois países.

No final de fevereiro, também através da AIS, a freira alertava para a situação "catastrófica" no Líbano, onde os cristãos "não têm ninguém que os ajude".

"A situação na Síria não é boa, mas no Líbano, neste momento, parece bastante, bastante mais catastrófica", afirmou na ocasião.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG