Polinésia

Fundador do Cirque du Soleil detido por cultivar canábis na sua ilha privada

Fundador do Cirque du Soleil detido por cultivar canábis na sua ilha privada

O canadiano Guy Laliberté, fundador do Cirque du Soleil, foi detido na terça-feira, acusado de cultivar canábis na sua ilha privada na Polinésia Francesa.

Segundo avançou a agência de notícias francesa AFP à Procuradoria de Papeete, capital da Polinésia Francesa, Laliberté compareceu de forma voluntária na esquadra depois de ter recebido um pedido das autoridades. Tem audiência com um juiz de instrução esta quarta-feira, para determinar se a droga tem ou não por objetivo ser traficada.

A polícia já tinha interrogado há algumas semanas um amigo do milionário canadiano por posse de droga e encontraram fotos das plantações no telemóvel. A canábis encontrada na ilha é cultivada num contentor trancado a chave.

Em comunicado, a empresa Lune Rouge, que gere o Cirque du Soleil, afirma que "Guy Laliberté dissocia-se completamente de qualquer boato que o envolva, de perto ou de longe, na venda ou tráfico de estupefacientes", uma vez que o canadiano utiliza a canábis apenas com "fins medicinais e estritamente pessoais". Laliberté investiu em canábis medicinal no Canadá.

Desde julho, o milionário passou a arrendar a sua ilha por 900 mil euros por semana. São 16 residências luxuosas num cenário paradisíaco.