Nível 5

Furacão Iota dirige-se para a América Central com ventos de 257 km/h

Furacão Iota dirige-se para a América Central com ventos de 257 km/h

O Furacão Iota, de nível 5, segue em direção à América Central com ventos de 257 quilómetros por hora. Meteorologistas alertam para "ventos potencialmente catastróficos".

O Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos alerta para o furacão Iota, que está a caminho da América Central. Esta manhã, estava categorizado como nível 4, registando ventos de 245 km/h. Porém, nas últimas horas, evoluiu.

Segundo explicou a instituição no Twitter, o furacão atingiu o nível 5, o mais alto da escala de vento de furacões Saffir-Simpson, registando ventos de 257 km/h.

Prevê-se que atinja a terra, no nordeste da Nicarágua e no leste de Honduras, esta segunda-feira à noite, mas estima-se que passe, antes, pela Ilha de Providência, nas Caraíbas.

As zonas mais baixas das regiões de Honduras, Guatemala e Nicarágua já foram evacuados. No entanto, há quem recuse abandonar as suas casas, com medo de contrair o coronavírus nos abrigos partilhados. "Alguns de nós preferem ficar e morrer nas suas casas. Estamos preocupados e nervosos. Psicologicamente não estamos bem, porque perder as nossas coisas e começar de novo não é fácil", afirma Silvania Zamora à AFP.

Segundo o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos, estão previstas "inundações potencialmente fatais". De realçar que ainda há partes da América Central inundadas devido à passagem do furacão Eta, há duas semanas, e o efeito das chuvas nessas áreas pode ser devastador. A tempestade Eta provocou 200 mortos e a zona mais afetada foi a Guatemala, que viu dezenas de casas serem enterradas pelos deslizamentos de terra na região central de Alta Verapaz.

PUB

O furacão Iota já causou inundações na cidade de Cartagena das Índias, destino turístico popular situado na costa das caraíbas na Colômbia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG