Mundo

Furacão Irene já fez seis mortos no estado da Carolina do Norte

Furacão Irene já fez seis mortos no estado da Carolina do Norte

O furacão Irene, que atingiu, este sábado, a costa dos Estados Unidos, já causou pelo menos seis mortos na Carolina do Norte. Apesar de ter enfraquecido para uma tempestade de categoria 1, os meteorologistas avisam que continua a ser extremamente perigoso e cidades como Nova Iorque preparam-se para fortes chuvas e inudações.

"Um homem morreu na sequência de uma crise cardíaca, enquanto instalava tábuas de madeira nas suas janelas, no condado de Onslow" e outro homem morreu durante a noite, no condado de Pitt, depois de ter perdido o controlo da sua viatura, que saiu da estrada e foi bater numa árvore, referiu Tom Mather, responsável dos serviços de emergência da Carolina do Norte.

Já a cadeia de televisão americana NBC fala de outra vítima mortal na Carolina do Norte, um homem que foi esmagado por uma árvore no exterior da sua casa, no condado de Nash County, quando os ventos atingiam os cem quilómetros por hora.

Por sua vez, os serviços de socorro do condado de New Hanover indicaram que um homem caiu ao rio esta manhã, desconhecendo-se o seu paradeiro e tendo as buscas sido interrompidas devido ao mau tempo.

O furacão Irene, que desceu da categoria 2 para a 1 (numa escala de 5), com ventos que podem atingir os 140 quilómetros por hora), chegou, cerca das 8 horas locais deste sábado (13 horas em Portugal continental), à costa dos Estados Unidos, onde deverá permanecer durante o fim de semana.

A tempestade, que causou seis mortos à sua passagem pelas Caraíbas, deverá seguir pela costa leste dos Estados Unidos na direcção de Washington, Nova Iorque e Boston. Esta zona, que tem mais de 65 milhões de habitantes, está sob a ameaça de inundações e cortes de electricidade, podendo a tempestade provocar danos da ordem dos 12 mil milhões de dólares.

Sem electricidade estão já 670 mil pessoas na costa da Carolina do Norte e outras 84 mil no Sul da Virgínia, em consequência das fortes chuvas e ventos, e 12 mil linhas telefónicas foram cortadas.

Em Nova Iorque, os transportes públicos estão fechados desde o meio dia local (mais cinco horas em Lisboa) e cerca de 370 mil pessoas já foram evacuadas de suas casas.

O presidente norte-americano, Barack Obama, antecipou o final das suas férias devido ao furacão, tendo regressado a Washington na noite de sexta-feira.

Cinco aeroportos de Nova Iorque encerraram até às 12 horas locais (17 horas em Portugal Continental) para a chegada de voos devido à aproximação do furacão "Irene", tendo já sido também canceladas cerca de oito mil partidas.

A decisão das autoridades locais afectou os aeroportos John F. Kennedy, LaGuardia, Newark, Stewart e Teterboro e aplicou-se a voos domésticos e internacionais.

O presidente do município de Nova Iorque, Michael Bloomberg, ordenou, sexta-feira, a retirada de mais de 250 mil pessoas das zonas que poderão ser afectadas por inundações até às 17 horas locais (22 horas em Lisboa) de hoje, numa decisão sem precedentes.

Entre os bairros afectados encontram-se Brooklyn, Queens, Staten Island, Governor's Island e Battery Park City, no sul de Manhattan, onde se encontra Wall Street e o principal distrito financeiro do Mundo.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG