02.02.2020

Natureza

Imagens impressionantes de uma das piores pragas de gafanhotos no Quénia

Imagens impressionantes de uma das piores pragas de gafanhotos no Quénia

Milhões de gafanhotos que atingem parte do Quénia, na pior praga dos últimos 70 anos, estão a ser combatidos por aviões que lançam pesticidas, o único meio efetivo de controlo.

Trata-se de um trabalho desafiante, especialmente em partes remotas do Quénia, onde não existe rede de telemóvel e as equipas em terra não conseguem comunicar facilmente coordenadas ao pessoal de voo.

As equipas em terra estão "nos mais difíceis terrenos", disse este domingo Marcus Dunn, piloto e diretor na Farmland Aviation. "Se não houver rede, então um tipo numa 'boda boda' (motorizada) tem de correr e apanhar uma rede".

Cinco aviões estão atualmente a dispersar spray no Quénia e outras autoridades estão a tentar impedir os gafanhotos de se espalharem aos vizinhos Uganda e Sudão do Sul.

As Nações Unidas afirmaram que são necessários imediatamente 76 milhões de dólares para desenvolver tais esforços no leste de África.

Gafanhotos com o tamanho de um dedo atingiram o Quénia a partir da Somália e da Etiópia, depois de intensas chuvas, pouco habituais, nos últimos meses, dizimando as colheitas em algumas áreas e ameaçando milhões de pessoas vulneráveis com uma crise de fome.