29.05.2017

Saúde

Hospitais brasileiros usam pele de peixe para tratar queimaduras

Hospitais brasileiros usam pele de peixe para tratar queimaduras

Uma nova técnica para tratar vítimas de queimaduras graves com pele de peixe está a ser testada nos hospitais brasileiros.

Cientistas da Universidade Federal do Ceara, Brasil, descobriram que a pele do peixe de água doce Tilápia pode ajudar no tratamento de vítimas de queimaduras, por ter características semelhantes com a pele humana.

A capacidade de cicatrização da pele de Tilápia já tinha sido testada em ratos, na China, mas esta é a primeira vez que este tratamento é aplicado em pele humana, garantem os cientistas brasileiros.

"Usar pele de Tilápia para tratar queimaduras é sem precedentes", disse à agência Reuters Odorico de Morais, professor na Universidade Federal do Ceará (UFC). "Habitualmente, a pele deste peixe é desperdiçada por isso estamos a utilizar este produto para o benefício da sociedade", explicou o professor.

Para além de ser menos doloroso para os doentes, esta técnica é uma alternativa económica para os hospitais brasileiros dada a abundância do Tilápia nos rios brasileiros.

Antes de ser aplicada nos doentes, a pele é tratada e submetida a um tratamento por radiação que elimina qualquer vírus que possa estar alojado na pele do peixe. Depois do tratamento, o tecido fica com um prazo de validade de dois anos e é inodoro.

Este procedimento já foi aplicado com sucesso a pelo menos 56 pacientes, com queimaduras de segundo e terceiro grau.

ver mais vídeos