23.03.2019

Fotogaleria

Seis mil polícias e cinco mil "coletes". Mais um dia de protesto em Paris

Seis mil polícias e cinco mil "coletes". Mais um dia de protesto em Paris

O 19.º sábado de protesto dos "coletes amarelos" em Paris decorreu sob forte dispositivo policial e com várias artérias da capital vedadas. No final, quando começaram a dispersar, houve alguns pontos de tensão, com a polícia a lançar gás lacrimogéneo para conter os manifestantes.

Segundo o Ministério do Interior, manifestaram-se este sábado em Paris cinco mil "coletes amarelos", num total de 40500 em toda a França. O movimento aponta para 127212 manifestantes mobilizados no país, mesmo assim, abaixo dos 269270 da semana passada.

"Todos os manifestantes que se identificaram protestaram normalmente", disse o ministro Christophe Castaner.

No geral, o protesto foi pacífico, sem os atos de violência e vandalismo que deixaram um rasto de destruição no passado sábado. Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger os edifícios das principais instituições francesas.

Segundo um balanço feito pela polícia, foram feitas 233 interpelações, muitas respeitantes a manifestantes que tentaram entrar nas zonas interditas, e 172 pessoas ficaram detidas.

Um dos pontos de tensão no final da tarde foi na avenida de Estrasburgo, com alguns caixotes de lixo incendiados. A polícia respondeu com jatos de gás lacrimogéneo.

À margem do protesto, há a registar o caso de um agente da polícia que foi vítima de um ataque cardíaco, na praça da República, tendo sido hospitalizado em estado considerado grave.

Também em Montpellier houve tensão com a polícia, duas horas após o início da marcha que reuniu 4500 pessoas. Manifestantes lançaram latas e garrafas de cerveja e os agentes ripostaram com granadas de gás lacrimogéneo. Pelo menos dois polícias ficaram feridos e um manifestante foi atingido por um projétil na cara.