20.03.2021

Covid-19

Milhares de pessoas manifestam-se em Londres contra o confinamento

Milhares de pessoas manifestam-se em Londres contra o confinamento

Milhares de pessoas manifestaram-se este sábado, no centro de Londres, contra o confinamento imposto para conter a pandemia no Reino Unido, muitas delas sem máscara e sem respeitar a distância de segurança pessoal, regras básicas exigidas pelas autoridades.

Entre os manifestantes estavam "negacionistas" da covid-19 e partidários de teorias da conspiração, bem como pessoas que não negam a existência do vírus, mas consideram excessivas e contraproducentes as restrições impostas pelo Governo britânico.

A polícia londrina não indicou nenhuma estimativa sobre o número de manifestantes, ou se foram feitas detenções.

Desde janeiro, que a Inglaterra está sob um confinamento quase total para conter a terceira onda da pandemia, e só é permitido sair de casa por razões essenciais, viagens ao estrangeiro por motivos de força maior, funcionando apenas o comércio de produtos básicos.

No quadro de um progressivo desconfinamento, a 8 de março reabriram as escolas, e a 12 de abril deverão reabrir também, com precauções, mais lojas, progredindo o levantamento de restrições até 21 de junho.

A manifestação de hoje acontece depois de, no sábado passado, a polícia ter reprimido com dureza um protesto público protagonizado sobretudo por mulheres, em homenagem a Sarah Everad, a jovem de 33 anos raptada e assassinada a 3 de março, por um polícia - já formalmente acusado - quando voltava a casa sozinha, em Londres.

Na altura, mais de sessenta deputados assinaram uma carta enviada à ministra do Interior, Priti Patel, e hoje divulgada, na qual reclamam a clarificação da legislação e das competências da polícia, para que os cidadãos possam manifestar-se, sempre com respeito pelas normas sanitárias de segurança, para prevenir a propagação do vírus.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG