21.11.2021

Covid-19

Polícias feridos e vários detidos em noite de violência nos Países Baixos

Polícias feridos e vários detidos em noite de violência nos Países Baixos

Mais uma noite de violência em protestos contra as medidas impostas pelo Governo com vista ao combate da pandemia. Cinco polícias ficaram feridos e pelo menos 40 manifestantes foram detidos, na madrugada de domingo, em três províncias dos Países Baixos, avança a Reuters.

As autoridades holandesas usaram canhões de água, cães e polícias a cavalo para tentar dispersar os cidadãos. Já na madrugada de sábado, segundo afirmou o presidente do município de Roterdão, Ahmed Aboutaleb, a polícia teve de recorrer às armas, em várias ocasiões, para conter o que descreveu como "uma orgia de violência".

Os manifestantes contestam o regresso ao confinamento parcial, com pelo menos três semanas de restrições destinadas a combater o novo coronavírus.

Também ocorreram protestos na Suíça, Croácia, Itália e Irlanda do Norte, numa altura em que vários países tornaram obrigatória a apresentação do certificado de vacinação para entrar em restaurantes e eventos desportivos.

Já este domingo, milhares de pessoas manifestaram-se no centro da cidade de Bruxelas. A marcha de protesto alinhou-se atrás de uma enorme faixa que dizia "Juntos pela Liberdade", percorrendo algumas ruas da cidade, com alguns manifestantes a protestarem também contra a vacinação, mas sem registos de violência.

A Bélgica estendeu o uso obrigatório de máscaras a partir dos 10 anos e tornou o teletrabalho obrigatório, na tentativa de controlar uma nova vaga de casos de covid-19. "Os sinais de alarme estão a piscar no vermelho", disse recentemente o primeiro-ministro Alexander De Croo.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) já manifestou grande preocupação com o aumento de casos de covid-19 na Europa e advertiu que cerca de 500 mil pessoas podem morrer até março de 2022 se não forem tomadas medidas urgentes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG