Mundo

General sírio une-se à revolução

General sírio une-se à revolução

O chefe da Polícia Militar da Síria, Abdul-Aziz Jassem al-Shallal, desertou e declarou lealdade à "revolução popular". Acusou Assad de "destruir o país e cometer massacres contra a população inocente.

"Sou o general Abdul-Aziz Jassem al-Shallal, chefe da Polícia Militar. Declaro a minha deserção do Exército, porque se desviou da sua missão fundamental de proteção da Nação", disse o oficial num vídeo publicado no YouTube e divulgado pela estação al-Arabiya.

No vídeo, Shalal acusa o Exército de "destruir cidades e aldeias" e de ter "cometido massacres contra a população desarmada que saiu à rua para exigir liberdade".

Uma fonte dos serviços de segurança sírios disse à Reuters que o general se deveria aposentar dentro de um mês e só tomou uma posição pública porque "quis fazer de herói". Contudo, Abdelaziz Jassim al-Shala era um dos mais graduados e detinha um posto de alta hierarquia ao deixar o cargo.

Dezenas de generais desertaram desde o início da crise síria, em março de 2011, que já matou mais de 45 mil pessoas. Esta quarta-feira, 20 pessoas, incluindo oito crianças, morreram num bombardeamento contra uma aldeia no Norte da Síria, adiantou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos . Um vídeo colocado online por ativistas mostra os corpos de várias vítimas, sendo visíveis entre elas várias crianças.

A comunidade internacional permanece dividida quanto à solução para o conflito sírio, com Moscovo e Pequim a bloquearem qualquer resolução de condenação do regime de Assad.

Outras Notícias