Mundo

GNR detetou cinco mil imigrantes ilegais no mar Egeu

GNR detetou cinco mil imigrantes ilegais no mar Egeu

A Unidade de Controlo Costeiro da GNR detetou este ano 5.180 imigrantes irregulares e resgatou 1.265, no mar Egeu, na fronteira marítima entre a Grécia e a Turquia.

Dos 5.180 imigrantes detetados, 3.067 foram encontrados na operação da Frontex, a Agência Europeia de Gestão de Cooperação Operacional nas Fronteiras Externas dos Estados-membros da União Europeia, realizada na Grécia, de 1 de junho a 31 de agosto, acrescentou o major-general José Nunes da Fonseca, comandante da UCC.

Os restantes imigrantes ilegais foram detetados na fronteira da Bulgária com a Turquia, disse à Lusa o responsável das Relações Públicas da UCC da Guarda Nacional Republicana (GNR).

José Nunes da Fonseca, que falava na cerimónia comemorativa do 7.º aniversário desta unidade, realizada esta sexta-feira, em Lisboa, acrescentou que, este ano, a UCC já cumpriu quatro missões em outros tantos países europeus - Bulgária, Hungria, Espanha e Grécia.

As operações, num total de nove meses de empenho, envolveram 34 militares, duas embarcações e duas viaturas, referiu.

José Nunes da Fonseca fez ainda um balanço das atividades "mais significativas", desenvolvidas pela UCC no espaço de um ano (de janeiro a setembro deste ano), sublinhando que, nestes nove meses, a Unidade registou um incremento da atividade operacional em relação ao mesmo período no ano passado.

Segundo o major-general, verificou-se um aumento na ordem dos 7% de patrulhamentos, de 33% nos autos de vária natureza e de 41% do pescado apreendido, por fuga à lota ou pesca ilegal.

PUB

O pescado apreendido perfaz um montante de cerda de 2,1 milhões de euros, referiu.

Na área do narcotráfico e em operações realizadas de forma autónoma, a UCC apreendeu mais de 2.742 quilogramas de haxixe, três embarcações e uma viatura, e deteve seis pessoas.

Operações realizadas com a Polícia Judiciária e a Guardia Civil de Espanha resultaram na apreensão de perto de 8.320 quilogramas de haxixe e de uma embarcação, e na detenção de quatro pessoas, referiu.

Neste ano, a Unidade monitorizou ainda 108.500 embarcações, através do Sistema Integrado de Vigilância, Comando e Controlo (SIVICC), que em dezembro perfaz dois anos de entrada em funcionamento.

A cerimónia de aniversário da UCC, realizada hoje em Lisboa, foi presidida pela ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, naquela que é - disse - uma das suas últimas cerimónias enquanto tutelar da pasta.

Na ocasião, elogiou o trabalho da UCC da GNR e sublinhou a "enorme relevância" do SIVICC para a continuidade operacional na vigilância, patrulhamento e intersecção de ameaças, nomeadamente das provenientes do mar em direção ao território nacional.

"Ao ser compatível com o sistema congénere da nossa vizinha Espanha, o SIVICC torna-se uma peça essencial na proteção do espaço europeu e mostra bem como Portugal assume, na plenitude, o papel nas soluções de segurança da EU", disse.

Sublinhou ainda a importância desta Unidade da GNR, considerando-a de "fundamental importância" para responder aos atuais desafios da segurança, porque, "ao vigiar, patrulhar e intersetar, por via terrestre ou marítima, toda a costa e mar territorial do continente e das regiões autónomas, não estamos apenas a garantir a segurança nacional", mas a prevenir ameaças que, "se não forem devidamente combatidas em Portugal, serão também problema para os parceiros europeus".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG