Ucrânia

Governo da Crimeia diz que ocupação de edifícios é um atentado terrorista

Governo da Crimeia diz que ocupação de edifícios é um atentado terrorista

As autoridades da república autónoma da Crimeia abriram uma investigação penal devido à tomada do Parlamento e Governo na cidade de Simferópol por indivíduos armados, alegadamente favoráveis à causa russa, classificando a iniciativa de atentado terrorista.

De acordo com a agência de notícias ucraniana Unian e o portal russo de LifeNews, citados pela agência espanhola Efe, os militares que tomaram os edifícios públicos são militantes e antigos agentes dos serviços secretos da chamada Autodefesa da População da Crimeia que fala russo.

Na Crimeia, dezenas de homens armados tomaram o controlo do Parlamento e da sede do Governo e nos dois locais foram hasteadas bandeiras russas.

Cerca de 50 homens equipados com "armas modernas" chegaram durante a madrugada e impediram a entrada dos funcionários nos edifícios, declarou o primeiro-ministro da Crimeia, Anatoli Mohilyov.

As autoridades locais estão a preparar-se para "tomar medidas", acrescentou, sem dar mais detalhes, apelando ainda aos cidadãos para que tenham calma.

Anatoli Mohilyov disse que já havia tentado negociar com os invasores, que se recusaram, declarando que o primeiro-ministro não tinha a autoridade necessária para fazê-lo.

O ministro do Interior interino, Arsen Avakov, anunciou que lançou um alerta para toda a polícia, assim como para as forças especiais.

Esta medida, com o cerco da região do parlamento em Simféropol pelas forças de ordem, destina-se a evitar "um banho de sangue entre a população civil" e "a evolução de uma situação de confrontos armados", declarou Avakov na sua página do Facebook. "Os provocadores estão em marcha" e é preciso manter "a cabeça fria", acrescentou.

No local, cerca de 20 polícias não armados fazem circular os curiosos, sobretudo manifestantes pró-russos, que se juntam nas proximidades dos dois edifícios.

A praça em frente aos locais está completamente deserta, o perímetro de segurança estende-se a 500 metros.

A Crimeia era considerada pela União Soviética como parte da Rússia, mas foi anexada à Ucrânia em 1954 e continua a albergar a frota naval russa do Mar Negro na cidade portuária de Sebastopol.

Outras Notícias