Espanha

Governo espanhol admite suspender autonomia catalã para impedir referendo

Governo espanhol admite suspender autonomia catalã para impedir referendo

O ministro dos Negócios Estrangeiros espanhol, José Manuel García-Margallo, admitiu, esta terça-feira, a possibilidade do Executivo suspender a autonomia catalã para impedir a realização do referendo marcado para o próximo dia 9 de novembro.

"O Governo utilizará todos os meios legais ao seu alcance para evitar o referendo", afirmou o responsável durante um pequeno-almoço informativo.

Margallo referia-se à possibilidade do Governo de Mariano Rajoy recorrer à aplicação do artigo 155 da Constituição Espanhola, que permite a suspensão de competências a uma Comunidade Autónoma quando esta não cumpre as suas obrigações.

O presidente da Generalitat não demorou, no entanto, a responder ao chefe da diplomacia espanhola, garantindo que mantém o propósito de realizar a consulta. "Não conseguirão travar o curso da História", afirmou no Parlament da Catalunha.

Sobre a votação que terá lugar quinta-feira na Escócia, García-Margallo afirmou que a vitória do "sim" seria um "péssimo precedente para a União Europeia e para o mundo". O governante alertou ainda sobre o risco de uma "fragmentação balcânica" num cenário internacional instável como o atual. Questionado pelos jornalistas, escusou-se, no entanto, a indicar se Espanha vetaria a entrada na UE a uma hipotética Escócia independente.

Por sua vez, a possibilidade da vitória dos que defendem a autodeterminação da Escócia está a alimentar as pretensões do campo nacionalista catalão, que irá seguir com particular interesse o desenrolar da votação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG