Mundo

Grécia falha eleição do Presidente e abre caminho a legislativas antecipadas

Grécia falha eleição do Presidente e abre caminho a legislativas antecipadas

O Parlamento da Grécia voltou esta segunda-feira a não conseguir eleger um presidente, pela terceira vez, e deverá convocar eleições legislativas antecipadas.

O candidato apresentado pelo governo, o ex-comissário europeu e várias vezes ministro grego Stavros Dimas, obteve o voto favorável de 168 dos 300 deputados, menos 12 do que os 180 necessários para ser eleito.

Nas duas anteriores votações, em que era necessário o apoio de dois terços dos deputados, ou seja 200, Dimas obteve 168 votos na segunda, realizada a 23 de dezembro, e 160 na primeira, a 17 de dezembro.

A Constituição da Grécia estipula que a não eleição do presidente ao fim de três rondas implica a dissolução do parlamento nos próximos 10 dias e a convocação de eleições legislativas antecipadas.

As eleições deverão realizar-se em finais de janeiro ou princípios de fevereiro.

Segundo a sondagem mais recente, divulgada no domingo, o partido de esquerda Syriza é o favorito, com uma vantagem de 2,4 pontos percentuais sobre a Nova Democracia, do primeiro-ministro Antonis Samaras.

Vários responsáveis europeus alertaram nos últimos dias os eleitores gregos para o risco de um futuro governo abandonar as reformas económicas no país.