Migrações

Grécia retém refugiados em centro secreto antes de os expulsar

Grécia retém refugiados em centro secreto antes de os expulsar

A Grécia instalou um centro de detenção "secreto" na fronteira com a Turquia para encarcerar - antes de expulsar - os refugiados que entram no país, noticia esta quarta-feira o jornal norte-americano "The New York Times".

"O centro extrajudicial é uma das táticas que a Grécia está a utilizar para impedir a repetição de uma crise migratória como a de 2015", refere o jornal.

O "The New York Times" escreve que confirmou a existência do campo através de imagens captadas por satélite e após ter entrevistado um cidadão sírio que foi reenviado para a Turquia e que garantiu ter estado encarcerado no local perto da cidade de Poros, noroeste da Grécia.

Questionado pela agência France-Presse sobre a notícia, o governo grego não quis responder.

Atenas tem desmentido as informações publicadas na imprensa e que dão conta das operações de reenvio de refugiados para território turco.

Uma fonte governamental grega disse na semana passada que a situação não se verifica e que as autoridades apenas impedem as pessoas de entrar.

Os jornalistas da AFP indicam que têm visto ao longo da fronteira militares gregos que recolhem os refugiados em veículos do Exército e em viaturas descaracterizadas e sem matrícula.

Milhares de refugiados deslocaram-se para a zona separada pelo rio Evros quando Ancara anunciou no dia 28 de fevereiro a abertura das fronteiras a todos os requerentes de asilo que pretendem aceder aos países da União Europeia.

Interrogado há uma semana sobre de que forma são interpelados os refugiados, o ministro das Migrações do governo de Atenas não quis responder.

No terreno, polícias e militares não fornecem informações sobre o local para onde são destinados os refugiados, na maior parte civis da Síria, que são interpelados.

Outras Notícias