Terrorismo

Grupo ligado ao Al-Qaeda atacou base militar dos EUA no Quénia

Grupo ligado ao Al-Qaeda atacou base militar dos EUA no Quénia

Um grupo ligado ao movimento terrorista Al-Qaeda invadiu este domingo uma base militar do Quénia usada pelas forças norte-americanas, destruindo aviões e veículos das forças armadas dos Estados Unidos, segundo as autoridades quenianas.

O grupo extremista ​​​​​​​Al-Shabab, que opera sob instruções do movimento terrorista Al-Qaida, reivindicou o ataque, o primeiro desta organização contra forças norte-americanas no Quénia, na África oriental.

As autoridades do Quénia não forneceram informações sobre a existência de vítimas, das forças norte-americanas ou quenianas, mas confirmaram a morte de quatro dos atacantes.

Uma declaração do Comando dos Estados Unidos da América (EUA) na África, emitida horas depois de o grupo Al-Shabab ter divulgado fotos de aviões norte-americanos em chamas, disse que ainda está em curso uma avaliação dos danos no aeródromo de Manda Bay, que está a ser usado pelas forças militares.

As forças armadas norte-americanas dizem que "os relatórios iniciais refletem danos em infraestruturas e em equipamentos", enquanto a autoridade de aviação civil do Quénia reportou que a pista de aterragem do aeródromo foi fechada.

O grupo Al-Shabab, com sede no país vizinho da Somália, assumiu a responsabilidade pelo ataque e afirmou que o combate "intenso" contra as forças norte-americanas irá continuar.

O Quénia é uma base fundamental para o combate contra organizações extremistas em África e o aeródromo de Manda Bay é utilizado para treino e apoio a parceiros das forças norte-americanas na região, na luta contra grupos terroristas.

No passado, o Al-Shabab tinha atacado bases militares norte-americanas na Somália, mas é a primeira vez que realiza um ataque desta dimensão no Quénia, com vários analistas a considerar que este gesto pode significar uma escalada significativa de campanha terrorista na região.

Andrew Franklin, ex-fuzileiro naval e especialista em questões militares em África, disse este domingo que "o lançamento de um ataque deliberado contra uma base permanente ocupada pelas forças militares dos EUA exige muito planeamento, ensaios, logística e capacidade operacional".

O ataque de este domingo ocorre depois de um ataque aéreo norte-americano no Iraque que vitimou o general Qassem Soleimani, comandante de uma força de elite iraniana, espoletando uma escalada de tensão no Médio Oriente.

Outras Notícias