Nova Zelândia

Grupo rouba 97 carros durante quarentena mas foi apanhado

Grupo rouba 97 carros durante quarentena mas foi apanhado

Um grupo de assaltantes aproveitou a quarentena na Nova Zelândia para pôr roubar todos os automóveis de uma empresa "rent a car". Os carros estavam todos destrancados e com as chaves no interior.

Atravessaram a vedação de uma empresa de aluguer de veículos, em Auckland, levantaram o portão das dobradiças e limparam os automóveis que estavam estacionados no grande parque da empresa. A Nova Zelândia estava parada por causa da pandemia pelo novo coronavírus, facilitando o roubo.

Não levaram tudo de uma só vez. Levaram o que puderam e regressaram para completar o serviço. Um total de 97 veículos foi levado. Num longo fim de semana, conduziram os carros em lotes, a partir do local e pelas estradas desertas de Auckland.

À "BBC", Tom Ruddenklau, responsável pela empresa mostrou-se incrédulo com a situação: "Não podíamos acreditar que num momento em que todos deveríamos estar a cuidar uns dos outros como nação haveria este roubo descarado".

Ninguém se apercebeu do roubo até terem notícias da polícia. Os agentes encontraram os carros num armazém, tendo recuperado já mais de oitenta dos veículos furtados.

"Percebemos que algo não estava certo", disse o inspetor da polícia Matt Srhoj à "BBC". "Os carros causaram suspeitas pelo modo como se encontravam. Estavam em circunstâncias incomuns e assumimos que eles haviam sido roubados e alertamos a empresa".

Uma onda de apoio local

Um roubo em horários normais já seria mau o suficiente, mas este foi particularmente difícil no momento em que o país estava, numa batalha para vencer a pandemia de covid-19. "É dececionante - este é o maior roubo de carros que já vi", diz Srhoj. "É muito triste que as pessoas façam esse tipo de coisa quando estamos numa situação sem precedentes".

A Nova Zelândia estava então sob uma quarentena de nível 4, com medidas mais rigorosas do que na maioria dos outros países. E empresa de aluguer de carros Jucy estava, de facto, a fazer a sua parte no esforço comum.

Algumas das maiores caravanas da empresa - equipadas com casa de banho e cozinha - haviam sido usadas como casas de isolamento para pessoas que não tinham como ficar em quarentena. A empresa também tinha usado alguns dos carros direcionados para serviços de entrega de comida.

Quando as notícias do assalto chegaram às manchetes, houve uma onda de apoio local. "A comunidade realmente apoiou", diz Ruddenklau, diretor da empresa. A empresa conseguiu colocar "outdoors" para dizer que os seus carros tinham sido roubados e as pessoas alertaram a polícia sempre que viam veículos suspeitos com preços baixos para venda online. "Polícia e comunidade foram incríveis", acrescentou.

Entretanto, com o fim gradual da quarentena, a polícia diz que a paralisação do país tornou mais fácil rastrear os carros e quem os roubou. Um por um, a maioria dos carros foi encontrada e devolvida à empresa. Até agora, 85 dos veículos desaparecidos foram recuperados e 29 pessoas foram detidas.

"Foi devastador para nós como empresa", disse o fundador da empresa de venda e aluguer de automóveis, Tim Alpe, à "BBC". "É uma situação horrível, mas há um lado positivo: é que as pessoas uniram-se para ajudar e a polícia destacou-se por ter prendido muitas pessoas e recuperado a maioria dos carros".

Outras Notícias