Holocausto

Guterres alerta para "ressurgimento alarmante da xenofobia" e pede compromisso

Guterres alerta para "ressurgimento alarmante da xenofobia" e pede compromisso

Na data em que se comemoram os 77 anos da libertação do campo de concentração de Auschwitz e em que se assinala o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, o secretário-geral da ONU alertou para um aumento do preconceito e da discriminação xenófoba.

"Hoje assistimos a um ressurgimento alarmante da xenofobia e do medo. O antissemitismo - a mais velha e persistente forma de preconceito - está a aumentar outra vez. As tentativas de desvalorizar ou negar o holocausto estão a proliferar. Nenhuma sociedade é imune à irracionalidade e intolerância. Nunca devemos esquecer que o holocausto podia ter sido prevenido", apontou António Guterres, numa mensagem divulgada, lembrando que a morte de seis milhões de pessoas, pela qual foi responsável o regime nazi, esteve na base da criação da Organização das Nações Unidas (ONU).

Notando que "o passado é crucial para assegurar o futuro" e que "o silêncio perante o ódio é cumplicidade", o secretário-geral das Nações Unidas apelou ao mundo que nunca seja indiferente ao sofrimento alheio e nunca esqueça o que aconteceu. "Devemos prometer ser sempre vigilantes e defender os direitos humanos e a dignidade para todos", disse António Guterres, que é um dos participantes de uma cerimónia da UNESCO que vai recordar, esta quinta-feira, a morte de milhões de judeus no Holocausto.

A data vai também ser assinalada no Parlamento Europeu, em Bruxelas, e no parlamento alemão, em Berlim.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG