Pandemia

Hindus indianos rezam à "Corona Devi", a deusa do coronavírus

Hindus indianos rezam à "Corona Devi", a deusa do coronavírus

Num templo hindu, os sacerdotes invocam a clemência da deusa do coronavírus com a esperança de acabar com o surto de covid-19 na Índia.

Duas efígies da "Corona Devi" (deusa em hindi) chamam a atenção no templo Kamatchipuri Adhinam de Coimbatore, no estado de Tamil Nadu, duramente afetado pela pandemia de covid-19 que abala o gigante asiático e que já matou 320 mil pessoas desde o início da pandemia.

O templo hindu permanece fechado aos fiéis devido ao impacto da epidemia em Coimbatore, uma cidade com dois milhões de habitantes que sofreu mais de mil mortes.

Os "bramanes" - sacerdotes hindus - vão todos os dias ao templo com os braços cheios de ofertas que são depositadas aos pés das imagens, uma delas feita de madeira e a outra de pedra, antes de se juntarem aos cantos que invocam a clemência da divindade: "Deusa Corona, por favor, acabe com o vírus e salve a população".

"No passado, tivemos templos consagrados [aos deuses] da varíola, da varicela, da peste", disse Anandbharathi K., que dirige o templo Kamatchipuri Adhinam. "Veneramos o vírus sob a forma de uma deusa e pedimos todos os dias para que amenize os efeitos da doença", explicou.

O número de contágios parece estar a diminuir em grande parte da Índia após semanas de confinamento, mas o país de 1,3 mil milhões de habitantes, traumatizado pela ferocidade da doença que lotou os hospitais e esgotou as reservas de oxigénio e medicamentos, teme uma nova onda tão má ou pior.

"Nem os médicos conseguem superar a magnitude da situação, por isso recorremos à fé e à divindade como último recurso", continuou o responsável do templo.

PUB

Os "bramanes" realizam os seus rituais dedicados à "Corona Devi" 48 dias antes de levarem as efígies para um rio próximo, onde as mergulham como uma "oferta de paz".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG