Investigação

"Homem do Etna": encontrado cadáver misterioso com dezenas de anos em Itália

"Homem do Etna": encontrado cadáver misterioso com dezenas de anos em Itália

Restos mortais humanos foram encontrados, na noite de terça-feira, numa caverna remota do Etna, o vulcão ativo mais alto da Europa.

A descoberta foi feita por um agente da polícia financeira de Catânia e o seu cão de resgate alpino durante um treino na área. Segundo a polícia, os restos mortais pertencem a um homem que ainda não foi identificado e que se acredita ter morrido com pelo menos 50 anos. Com 1,70 metros de altura, o homem tinha "malformações congénitas no nariz e na boca".

De acordo com o "The Guardian", quando morreu, o homem estava vestido com calças compridas e escuras, uma camisola de lã, uma camisa às riscas e uma gravata preta. Ao lado dos restos mortais, foram encontrados um chapéu de lã enrolado e uma capa de chuva verde-escura, assim como algumas moedas da antiga moeda italiana, uma lira, um relógio Omega, um pente e sapatos Pivetta de tamanho 41.

"A área é muito isolada, vamos lá periodicamente para fazer o nosso treino. Foi graças ao cão farejador que os restos mortais foram encontrados", disse o agente Massimiliano Pacetto, acrescentando que, de momento, "todas as teorias são válidas".

Segundo Pacetto, a caverna no vulcão ativo mais alto da Europa é de difícil acesso e, se o homem entrou - voluntariamente ou à força -, pode não ter conseguido escapar. De acordo com as investigações preliminares, a morte do homem terá acontecido entre o final dos anos 70 e o início dos anos 90 e não parece ter sido violenta.

O mistério do "homem do Etna"

O caso - que a imprensa italiana já chama de "homem do Etna" - despertou a curiosidade de muitos e surgem já várias teorias. A polícia recebeu várias chamadas desde a descoberta, incluindo da filha de Mauro De Mauro, um jornalista de investigação de 49 anos que desapareceu em Palermo em setembro de 1970 e cujo corpo nunca foi encontrado.

PUB

Franca De Mauro contactou a polícia depois de ler que os restos mortais apresentavam malformações na boca e no nariz, características que o pai tinha devido a ferimentos sofridos durante a II Guerra Mundial.

As investigações sobre o desaparecimento seguiram várias pistas diferentes. Numa delas, a polícia suspeitava que De Mauro foi sequestrado e morto pela máfia Cosa Nostra por saber a verdade sobre o suposto assassinato do chefe da petrolífera Ente Nazionale Idrocarburi (ENI), Enrico Mattei.

"De Mauro é uma das teorias que estamos a investigar, além de outras pessoas que estão desaparecidas por motivos que podem estar ligados à criminalidade", disse Pacetto. "Mas, repito, nada nesta fase está a ser excluído."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG