Alemanha

Homem mata a família e suicida-se por ter falsificado certificado de vacinação

Homem mata a família e suicida-se por ter falsificado certificado de vacinação

Um homem matou a mulher, os três filhos menores e suicidou-se depois de ter falsificado um certificado de vacinação de covid-19, em Koenigs Wusterhausen, a sul de Berlim, capital alemã. O suspeito deixou escrito numa nota de despedida que tinha medo de ficar sem a guarda dos filhos e de ser preso, por ter sido descoberto.

A polícia alemã encontrou dois adultos, ambos com 40 anos, e três crianças - com quatro, oito e dez anos de idade - mortos por ferimentos de bala numa casa em Koenigs Wusterhausen, no sábado, depois de ter sido alertada pelos vizinhos, que viram os cadáveres dentro de casa.

As autoridades revelaram esta terça-feira que encontraram uma nota de despedida escrita pelo patriarca da família, onde este explica os motivos pelos quais matou a mulher e os filhos. O homem confessou ter falsificado um certificado de vacinação para a sua mulher e que o empregador desta tinha descoberto. Segundo o procurador Gernot Bantleon, o casal ficou com medo de perder a guarda dos filhos e de ser preso e a tragédia aconteceu.

Os investigadores suspeitam que o homem matou a sua esposa e filhos e depois se suicidou. Foi encontrada uma arma de fogo em casa, mas não ficou claro se foi a arma utilizada para os disparos mortais. No local, também não foram encontrados quaisquer indícios de que mais alguém tivesse estado na cena do crime, o que corrobora a tese policial de que o pai é o autor do crime macabro.

O caso surge numa altura em que a Alemanha está a endurecer as restrições para travar uma quarta vaga da pandemia. Desde o mês passado, os funcionários das empresas têm sido obrigados a mostrar o certificado de vacinação, de recuperação ou um teste negativo à covid-19 para trabalhar.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG