Mundo

Homem morto em Bruxelas terá dado apoio logístico a atentados de Paris

Homem morto em Bruxelas terá dado apoio logístico a atentados de Paris

O homem morto terça-feira, numa operação antiterrorista, em Bruxelas, é "quem muito provavelmente" deu o apoio logístico aos autores dos ataques de 13 de novembro de Paris, sob o nome falso de Samir Bouzid, segundo a Procuradoria belga.

O argelino Belkaid Mohamed, de 35 anos, foi morto numa operação policial na comuna de Forest, onde as autoridades belgas encontraram impressões digitais de Salah Abdeslam, um suspeito dos atentados de Paris.

"Confirmamos que as impressões digitais de Salah Abdeslam foram encontradas no apartamento de Forest", disse à AFP um porta-voz do procurador federal belga, que recusou avançar mais informação para não perturbar o inquérito.

Na terça-feira, a polícia belga, numa ação conjunta com autoridades francesas, foi recebida a tiro quando se preparava para revistar um apartamento em Forest.

Um suspeito foi morto no local e outros dois fugiram, tendo ainda ficado feridos quatro polícias.

No apartamento foram encontrados um livro sobre salafismo e uma bandeira do grupo 'jihadista' Estado Islâmico (EI).

O suspeito morto encontrava-se ilegalmente na Bélgica, indicou a procuradoria federal, acrescentando que este indivíduo apenas estava referenciado pelas autoridades judiciais devido a um roubo simples cometido em 2014.

No quadro das investigações abertas após os ataques de 13 de novembro em Paris, que fizeram mais de 130 mortos e foram reivindicados pelo EI -, foram já levadas a cabo mais de 100 rusgas na Bélgica, tendo a de terça-feira, na Rue du Dries, sido conduzida por uma equipa mista de seis agentes - quatro belgas e dois franceses -, que foram surpreendidos à chegada ao apartamento alvo de rusga por tiros de armas pesadas.