Colômbia

Homem morto por multidão enfurecida após notícia falsa sobre violação

Homem morto por multidão enfurecida após notícia falsa sobre violação

Um homem morreu depois de ter sido atacado por uma multidão na Colômbia. O ataque foi desencadeado por uma falsa notícia que circulou no WhatsApp e que acusava a vítima de ter violado um menino em Bogotá.

O ataque aconteceu na sexta-feira quando a Polícia Nacional se preparava para transportar três homens detidos para um posto da polícia. As autoridades foram surpreendidas quando, de repente, um grupo de pessoas os atacou. O ataque terá sido motivado por uma informação que circulou nas redes sociais e que acusava um dos detidos de ser responsável por sequestrar e violar uma criança.

Um dos homens transportado pela polícia não resistiu aos ataques e acabou por morrer num hospital daquela cidade. Oito polícias ficaram feridos na sequência do incidente.

"Devido a uma notícia falsa, que não é real, três cidadãos foram atacados violentamente", disse, citado pelo portal "Vanguardia", William Zuleta, da Polícia da Cidade de Bogotá. "Recomendamos que os cidadãos estejam atentos aos meios de comunicação. Nem todas as notícias que surgem nas redes sociais são verdadeiras. Esta sobre a alegada violação de uma criança é falsa", acrescentou.

Esta semana, em várias cidades do país, têm circulado através do WhatsApp, assim como em outras redes sociais, mensagens com informação sobre alegados casos de sequestro e violação de crianças. Os criadores desta cadeia de notícias falsas utilizam as imagens das mesmas crianças, alterando apenas o nome.

Andrés Villamizar, que trabalha no município de Cali, demonstrou preocupação com a chegada do Halloween, "uma época propícia para a disseminação deste tipo de mensagens". O responsável municipal publicou, na sua conta no Twitter, uma das imagens que circulou no WhatsApp.

"Em Bogotá dizem que foi raptado em Suba. Aqui circula com a informação de que foi em Cali. O mesmo acontece em Medellín. A mesma foto, diferentes versões da mesma mentira", escreveu.

Este caso não é inédito. Na Índia, um conjunto de mensagens semelhantes às que agora foram notícia, levaram à morte de várias pessoas, obrigando as autoridades do país a intervir no caso. O próprio WhatsApp teve que responder ao fenómeno e pagou publicidade para alertar a população sobre o risco das mensagens falsas.

Outras Notícias