D28

Icebergue quarenta vezes maior que o Porto separou-se da Antártida

Icebergue quarenta vezes maior que o Porto separou-se da Antártida

Um icebergue gigante, com uma área de 1636 km2, separou-se da plataforma de gelo Amery, na Antártida. O evento era esperado e os especialistas acreditam que não estará relacionado com as alterações climáticas.

Chama-se D28, é quarenta vezes maior do que a cidade do Porto, e calcula-se que pese 315 mil milhões de toneladas. A Amery não produzia um icebergue tão grande desde a década de 1960. A separação da placa de gelo foi acompanhada por cientistas e, a partir de agora, o iceberg passa a ser monitorizado para não se tornar um risco para o tráfego marítimo.

Os especialistas já previam este acontecimento e não mostram sinais de preocupação.

Dados de satélite capturados desde a década de 1990 mostraram que a Amery está em equilíbrio com o ambiente, apesar de sofrer forte derretimento da superfície durante o verão.

"Estou contente por ver esta separação ao fim de estes anos todos", declarou à BBC Helen Fricker, investigadora da Instituição Scripps de Oceanografia que monitoriza a placa Amery. Fricker previu que a separação de parte do "Dente Solto" ocorreria entre 2010 e 2015: "Sabíamos que ia acontecer mais cedo ou mais tarde, mas, só para nos manter atentos, não aconteceu exatamente quando esperávamos", disse a investigadora à BBC.

Helen Fricker acrescentou que o acontecimento não está relacionado com as alterações climáticas e que estas mudanças na Amery estão dentro do esperado: "Embora haja muitas razões para nos preocuparmos com a Antártida, não há ainda causa para alarme com esta placa de gelo."

Outra investigadora, citada pela rádio australiana ABC, alertou contudo que este evento nos deve fazer pensar no impacto das alterações climáticas nas separações de icebergues: "Com as alterações climáticas, antecipamos que haja mais icebergues a separarem-se no futuro", avisou Sue Cook, do Instituto de Estudos Marinhos e Antárticos. "Há um número variado de processos que irão ocorrer. À medida que as águas em torno da Antártida aquecem, vão começar a tornar as placas de gelo mais finas e isso deixa-as mais vulneráveis e passíveis de se partirem."

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG