EUA

Incêndio devora cidade no estado norte-americano da Califórnia

Incêndio devora cidade no estado norte-americano da Califórnia

Um incêndio atingiu uma cidade montanhosa no norte do estado norte-americano da Califórnia, deixando grande parte do centro urbano reduzido a cinzas, com várias casas destruídas.

O incêndio Dixie, acelerado por uma vegetação seca e a rajadas de vento de 64 quilómetros por hora, tomou a cidade de Greenville, no norte de Sierra Nevada, na noite de quarta-feira. Um posto de gasolina, um hotel e um bar entre muitas outras infraestruturas ficaram destruídas.

"Fizemos tudo o que podíamos. Às vezes, não é o suficiente", disse o porta-voz dos bombeiros, Mitch Matlow.

Enquanto os lados norte e este do fogo ganhavam força, o gabinete do xerife do condado de Plumas alertou os cerca de 800 residentes da cidade, no Facebook, pedindo que abandonassem as suas casas.

O incêndio que começou em meados de junho é considerado o maior do estado californiano, tendo consumido mais de 1127 quilómetros quadrados, queimando dezenas de habitações.

No início da semana, cerca de cinco mil bombeiros fizeram progressos, salvando algumas casas ameaçadas pelo fogo.

"Também mais viaturas e escavadoras foram encomendadas para reforçar o combate. Na quarta-feira, o incêndio consumiu milhares de hectares e mais de quatro mil pessoas foram obrigadas a fugir, sendo que quase 26.500 de vários condados receberam ordens de evacuação", disse Mitch Matlow.

PUB

O calor extremo, a baixa humidade e rajadas de vento que surgiram na quarta-feira devem continuar a ser uma ameaça durante a noite de hoje.

Mitch Matlow acrescentou que o incêndio deflagrava paralelamente a uma área de um desfiladeiro que servia de chaminé, tornando-o tão quente que criou enormes colunas de fumo.

"Estas nuvens trazem ventos caóticos, tornando o fogo criticamente desgovernado", observou.

A cerca de 240 quilómetros a oeste do incêndio Dixie, o fogo McFarland, que foi gerado por um relâmpago, ameaçava residências remotas junto ao rio Trinity, na Floresta Nacional de Shasta-Trinity.

Ondas de calor e secas históricas devido às alterações climáticas tornaram os incêndios florestais mais difíceis de combater na costa oeste dos Estados Unidos da América.

Cientistas afirmaram que as alterações climáticas fizeram com que a região ficasse mais quente e seca nos últimos 30 anos.

Mais de 20 mil bombeiros e auxiliares estão a combater 97 grandes incêndios florestais ativos, espalhados por 7560 quilómetros quadrados em 13 estados norte-americanos, de acordo com o National Interagency Fire Center (Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios, em tradução simples).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG