O Jogo ao Vivo

Mundo

Infanta Cristina apresenta recurso no caso Nóos

Infanta Cristina apresenta recurso no caso Nóos

A defesa da infanta espanhola Cristina apresentou, esta quarta-feira, num tribunal de instrução de Palma de Maiorca um recurso contra a acusação por dois crimes de fraude fiscal e um de branqueamento de capitais no caso Nóos.

Em nome do escritório de advocacia dirigido por Miquel Roca, o advogado Jaume Riutord entregou os documentos da defesa, nos quais apontam a existência de provas criminais insuficientes para manter a acusação contra a princesa espanhola.

A defesa da irmã do rei de Espanha, Felipe VI, esperou até ao último dia de prazo estabelecido para a entrega de recursos indicado pelo juiz José Castro, que encerrou a fase de instrução do processo e estabeleceu os delitos de cada um dos dezasseis acusados.

No entanto, o juiz concedeu um prazo de carência para a apresentação de recursos, que encerra na quinta-feira.

A instrução do processo - que investigou o alegado desvio de fundos públicos pelo instituto Nóos, presidido pelo marido da infanta, Iñaki Urdangarin, entre 2003 e 2006 - demorou 1.436 dias e resultou num processo de mais de 58 mil páginas e 62 volumes.

Foi aberto em fevereiro de 2006, depois do PSOE nas Ilhas Baleares ter questionado no parlamento regional o pagamento de 1,2 milhões de euros ao Instituto Nóos pelo Governo regional para a realização de um encontro sobre turismo.

O cunhado do rei espanhol foi constituído arguido em dezembro de 2011 e a sua mulher, a infanta Cristina, a 07 de janeiro, tendo prestado declarações ao juiz instrutor durante seis horas no passado dia 08 de fevereiro.

PUB

Nessa audição histórica - pela primeira vez, um membro de uma casa real europeia respondeu perante a justiça por um caso de corrupção - Cristina negou envolvimento no caso Nóos e desconhecimento sobre muitas das perguntas colocadas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG