Redes Sociais

Influenciadora digital processada na Turquia por fotografias no Museu do Sexo

Influenciadora digital processada na Turquia por fotografias no Museu do Sexo

Influenciadora digital da Turquia afirma estar a ser processada pelo país devido à publicação de fotos nas redes sociais enquanto visitava o Museu do Sexo em Amesterdão, nos Países Baixos.

Merve Taskin, influenciadora digital de 23 anos, contou à emissora britânica BBC, que foi intimada para comparecer em tribunal para enfrentar acusações de obscenidade, depois de ter publicado nas suas redes sociais várias fotografias com brinquedos sexuais durante uma viagem a Amesterdão em janeiro do ano passado.

A jovem turca já tinha sido detida poucos meses depois da viagem por alegadamente ter partilhado conteúdo obsceno, algo que é considerado crime na Turquia. De acordo com a lei do país, qualquer pessoa que publique este tipo de conteúdo pode ser multado ou condenado a uma pena de prisão de até três anos.

A influenciadora, que possui quase 600 mil seguidores no Instagram, referiu que o "objetivo era fazer piadas" ao partilhar fotografias de vários artigos, como massa em forma de pénis e um "abridor de garrafas sexy", que estavam à venda no Museu do Sexo.

As imagens não foram bem aceites pelas autoridades da Turquia, tendo a jovem influenciadora sido detida duas vezes depois do regresso ao seu país, chegando a prestar um depoimento a um procurador-geral da república.

Merve Taskin foi depois convocada a comparecer em tribunal no final de outubro por ter violado o artigo 226 do código penal da Turquia, que se refere a vários crimes relacionados com material obsceno, revelou a BBC depois de verificar a captura de ecrã que a influenciadora tinha feito da mensagem que recebeu.

A jovem de 23 anos partilhou um "tweet" a explicar que teria de ir a tribunal devido à publicação das fotografias e o seu caso começou a ganhar uma ampla cobertura mediática nos Países Baixos, tendo Monique van Marle, diretora do Museu do Sexo, referido à BBC que toda a situação era "absolutamente ridícula" e que "lamentava saber sobre os problemas" que as fotografias lhe causaram, acrescentando que considerava que a jovem era "um grande modelo para outras mulheres".

PUB

Também outros sites, editores e críticos do Governo foram censurados e processados por obscenidade devido às medidas impostas na lei da Turquia. Vários grupos de direitos humanos revelaram que a liberdade de expressão online está em declínio desde que o Governo do presidente turco Recep Tayyip Erdogan tomou posse.

Segundo aponta a Freedom House, uma organização sem fins lucrativos que opera em domínios da liberdade e da democracia, a Turquia "continua a ser um dos lugares mais desafiadores na região europeia para exercer o direito à liberdade de expressão", tendo jornalistas, ativistas e figuras políticas enfrentado "perseguições generalizadas por criticar o governo".

Após a aprovação no parlamento da Turquia de uma lei que pretende controlar as plataformas de redes sociais, no ano passado, a censura a estas plataformas começou a aumentar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG