Espanha

Acusados de violação em grupo brutalmente agredidos na prisão

Acusados de violação em grupo brutalmente agredidos na prisão

Os três homens presos por supostamente terem violado uma mulher num prédio abandonado em Múrcia, Espanha, foram brutalmente agredidos por outros reclusos, na segunda-feira, um dia depois de terem chegado à prisão de Sangonera.

Segundo o jornal local "La Opinión de Murcia", um grupo de reclusos aproveitou o regresso do pátio e, num corredor sem câmaras, encurralou e espancou os supostos violadores da "Manada de Múrcia", que tiveram de ser transferidos para o hospital.

Os guardas ainda intervieram para parar as agressões, mas os ferimentos das vítimas eram de tal gravidade que a enfermaria da prisão não foi suficiente para as socorrer.

Os três acusados de violação em grupo já estão novamente presos, agora num regime de maior segurança, na categoria de "refugiados".

Os membros da "Manada de Múrcia" foram detidos no passado fim de semana, acusados de agredir sexualmente uma mulher num prédio abandonado. A vítima foi encontrada por um transeunte a caminhar ensanguentada pela rua. A polícia deteve os três homens no mesmo lugar onde supostamente a agrediram e violaram. Uma mulher também foi presa por alegada omissão de socorro, mas foi libertada com a obrigação de comparecer em julgamento.

A violação terá ocorrido no sábado. Os supostos agressores terão espancado e violado a mulher. A Polícia Nacional continua a investigar para esclarecer as circunstâncias em que terá acontecido a violação.

A vítima, estrangeira, relatou que foi agredida dentro de um prédio pelos três homens que, depois de espancá-la, a forçaram a entrar numa casa onde foi violada pelo grupo.